quarta-feira, junho 23, 2010

Melancolia é que dá Ibope

Da última vez que repassei meu checklist de mimimis, estava tudo nota dez com estrelinhas. Ou nota zero, já que não tinha nenhum. Pela primeira vez na história desta biografia, eu não tenho nenhuma reclamação a fazer. Estou apaixonada pela minha casa, meu trabalho, meu cachorro, minha analista, meu namorado, meus amigos e meu professor de inglês. A família não deu nenhum vexame nos últimos dois meses. Dinheiro não tem, mas também não tem dívida. Há perspectivas de viagens incríveis no horizonte. É Copa, eu tenho desculpa pra beber e abraçar estranhos durante o expediente. Vou reclamar do que? Verde e amarelo não me favorecem, mas até aí, não favorecem ninguém. Tem temporada nova de True Blood.

Não dá pra escrever textos vicerais sobre a diarréia que o cachorro teve e que quase me matou de preocupação. Nem do meu extremo orgulho por ter aprendido a fazer uma sopa de ervilha de lamber a panela. Nem da minha ansiedade para cortar o cabelo no próximo sábado. Ou seja, a vida tá boa, mas nada interessante.

Então, não estranhem eu aparecer tão pouco, mas é que eu tenho preferido ser feliz a ter assunto.

4 comentários:

Anônimo disse...

Tem problema não!
Vai ser feliz mesmo.

Teus leitores vão entender.

Bjux

July

lixomania disse...

Ninguém que faz terapia pode estar completamente satisfeito com a vida! Menos ainda se estiver apaixonado pela terapeuta. Mas a pergunta mesmo é: ainda é a dra Fátima? =P

Suzana disse...

Hahahaha, claro que não estou completamente satisfeita, afinal ela ainda não me deu Prozac. Infelizmente não é mais a Fátima porque acabou ficando longe pra mim. É uma que revira os olhos tanto quanto a Fátima, mas é um pouco menos new age.

dima disse...

meu blog está às moscas exatamente pelo mesmo motivo.
Mas eu tô curtindo ser feliz a ter assunto. E se for assim, acho que não quero que o assunto volte rs