sexta-feira, dezembro 19, 2003

RECEITA DE ANO NOVO
(Carlos Drummond de Andrade)

Para você ganhar um belíssimo Ano Novo
Cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)

Para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens (planta recebe mensagens? Passa telegramas?).

Não precisa fazer listas de boas intenções para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumadas
Nem parvamente acreditar que por decreto da esperança
A partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações,
Liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
Direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano-Novo que mereça este nome,
Você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo,
Eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano-Novo cochila e espera desde sempre


É isso aí. Até 2004, macacada.

quinta-feira, dezembro 18, 2003

Nesses momentos tenho certeza de que existir vale a pena.
*suspiros MUITO profundos*
Não tenho resoluções de ano-novo, mas tenho algumas idéias sobre o que eu faria se eu fosse Deus.

- Baratas não existiriam. Se estissem, teriam 4 patas, seriam fofinhas, peludas e bonitinhas como chinchilas. Aliás, não só as baratas mas todos os insetos que caminham pelo mundo.
- Nossos dentes seriam de adamantium, não estragariam nem doeriam nunca.
- Pessoas nasceriam em árvores. Quem quisesse ter bebê, iria até o quintal, cavaria um buraquinho e plantaria seu filho lá. Durante 9 meses, regaria, adubaria e daria amor. Aí um dia, pluft, um bebê cairia de dentro de uma vagem.
- Carnes também dariam em árvore. A gente poderia ter um pé de vaca no quintal, ou um pé de carneiro ou de porco. Deu vontade de comer um bife, vai lá e colhe, sem precisar matar os bichinhos. Aves e peixes poderiam continuar sendo caçados e mortos livremente.
- Seria absolutamente proibido usar sunga. Seria um pecado tão grande quanto incesto.
- A poligamia seria a lei. A monogamia até seria aceita, se alguém quisesse ter um amante só, tudo bem. Mas seria visto como excêntrico, tipo aquelas pessoas que se alimentam de luz.
- Depilação seria completamente desnecessária porque todo só teria pêlos onde precisa ter mesmo. E eles seriam perfeitamente desenhadinhos.
- Todas as cidades seriam litorâneas.
- Todo mundo teria o cabelo que desejasse ter.
- Qualquer pessoa que depreciasse ou humilhasse outra sofreria uma dolorida contração anal e ali, imediatamente, nasceria uma hemorróida.
- Só seria permitido chover das 0h00 às 5h00 da madrugada.
- Todo o mundo teria senso de humor.
- As pessoas morreriam na hora que desse vontade. Ia ser assim: "Acho que já vivi bastante, vou ali me deitar e morrer. Com licença". E ninguém ia sofrer por causa disso.

quarta-feira, dezembro 17, 2003

Se esse ano passou voando, por que é que esse diabo dessa última semana está demorando taaaaaanto para passar?
Ok, me rendi e comprei um aparelho de dvd. Ele é lindo e levinho.
O inferno é que isso só significa mais gastos. Ou alguém acredita que eu não vou querer comprar um filme novo por semana? Até agora, eu já sei que quero esse, esses, esse, esse, esse, esse (e mais as outras caixas dele), esse (todas as temporadas, please) e esse.

terça-feira, dezembro 16, 2003

Chego a conclusão que precisamos de um escritório maior. Estamos editando o livro de um moço e ele tem vindo aqui acompanhar o processo. O moço tem um bafo de bueiro insuportável. Dá para sentir de qualquer canto da sala e me dá náuseas e eu não rendo o que deveria render porque fico descendo de 15 em 15 minutos para tomar sal de frutas. Arght.
Meu chefe adora Friends e isso faz dele uma pessoa legal. Há cerca de 2 meses ele comprou o dvd de uma das temporadas, que tinha um episódio em que o Ross fazia uma lista das top cinco mulheres da vida dele. Daí meu chefe empolgou e quis fazer uma também e ficou enchendo o saco de todo mundo para dizer quem eram seus top 5. Eu empaquei e simplesmente não consegui decidir. Eu nunca consigo fazer lista porque tenho dó de deixar coisas de fora. Passei dois meses sofrendo para escolher só 5 moços. Acabou que fiz uma lista de 3 e dois lugares ficaram vagos. Ficou assim:
1. Ewan McGregor - supremo, salve-salve
2. David Beckham
3. Jude Law
Daí em quarto e quinto lugar eu quero colocar brasileiros. Em quarto tenho quase certeza que vai o Marcelo Anthony (é assim que escreve?). Em quinto eu pus o Rodrigo Santoro, mas ainda estou em dúvida. Não sei se ele merece ser o quinto. Deixei de fora gente de peso, como os dois meninos de "E sua mãe também" e o Wolverine e o Mike Patton. Ai, por que é tão difícil fazer um top 5?

PS: deu para perceber como eu ocupo meus pensamentos com coisas úteis e relevantes?

sexta-feira, dezembro 12, 2003

Achei a casa dos meus sonhos.
Resta saber quanto custa.
Mas estou fazendo reza braba pra ser alguma coisa que eu possa pagar, porque é A casa dos meus sonhos. Vou poder adotar uns três cachorros e rolar com eles na grama e vou poder ter de novo uma bateria e uma cama elástica.
Estou um pouco ansiosa.
Inferno.
Abriu uma Fnac quase EM FRENTE ao meu trampo. Enorme. Linda. Cheirosa.
Tem agendas Tashen lá. Tem as malditas agendas Tashen lá. Tem uma caixa absurda dos Simpsons. Tem uma caixa do Chat Baker que deve ter umas mil músicas. Tem tudo. Quero me suicidar.
Mas pelo menos vou poder ir sempre naqueles shows quase legais que tem lá.
Ah, e quero deixar registrado também que Carina é a maior heroína de todo o universo.
Quero apenas deixar registrado que ganhei meu primeiro ferimento no boxe: um calinho no nó do dedinho esquerdo. :-)

segunda-feira, dezembro 08, 2003

Toda vez que compro um sapato novo, minha produção cai.
É que passo metade do tempo olhando pro meu pé e decidindo se gosto ou não do sapato e pensando com quais roupas ele combina. Pra andar na rua tbm é outro problema. Toda vez que passo em frente à uma vitrine de vidro, olho pro meu reflexo pra ver se a roupa tá ornando com o sapato e trombo nas pessoas. Hoje estou especialmente apaixonada pelo meu sapatinho de práaaaaastico azul.
Minha única resolução de ano-novo é manter minha conta no azul.
O resto que vier é lucro.

sexta-feira, dezembro 05, 2003

Meu plano de malhação 2004 inclui, além das três aulas de boxe semanais, duas de yoga. Não que eu ache yoga legal, na verdade acho bem ridículo. Mas preciso aumentar minha flexibilidade para poder realizar atividades simples como me agachar, por exemplo, sem sentir dor. E é nisso que vou ter que pensar com toda a força da minha mente quando estiver na aula, tentando enfiar a cara na minha própria bunda. Argh. Vida cruel.

quinta-feira, dezembro 04, 2003

A gente nunca sabe quando uma manhã absolutamente pavorosa vai se transformar na manhã mais gloriosa do ano. Portanto é bom sair de casa arrumadinha sempre que possível.

terça-feira, dezembro 02, 2003

Ontem aquele felino selvagem psicopata homicida que tenho em casa aprontou outra das suas, no maior estilo Norman Bates. Depois de tentar se suicidar pulando na privada, ontem ele tentou me matar.
Explico.
No meu banheiro tem um armário alto, perto do box, onde minha gata velha gosta de dormir. Ela sempre dormiu lá e ninguém nunca ligou. Recentemente, Mané aprendeu a subir lá também. Ele sempre fica lá sentadinho, enquanto eu tomo banho. Eu sempre achei isso uma graça, achava muito simpático ele me fazer companhia, pensava “meu deus, como esse bicho me ama e é apegado à mim”. Daí ontem estava eu lá tomando banho e ele postado em cima do armário, como de costume. De repente, sem mais nem por que, o demente se tacou DENTRO do box. Quando viu que estava molhado e que caía água do chuveiro, entrou em desespero, começou a correr, pular, miar e fazer psssssssst sem parar, parecendo um pai de santo felino. Eu, cheia de xampu nos olhos, não fazia idéia do que estava acontecendo e meu coração quase parou de bater, tamanho o susto. Comecei a gritar também, assustando meus pais e a vizinhança. Ele, ouvindo meus berros, pôs-se a miar ainda mais e fazer mais fffffffffffssssssst e ficamos os dois nesse dueto macabro por alguns segundos, até que consegui abri a porta do box para que o animal desmiolado saísse.
Desde então, ele não passa nem perto da porta do banheiro.
Isso é tãããããããão engraçado que dá vontade de dançar junto!!

segunda-feira, dezembro 01, 2003




Tá, eu sei, eu sei que Calvin é o máximo e todo mundo lá no fundinho gostaria de dizer que se parece com ele. Mas pelo menos essa tirinha é incontestável.
Estou completamente viciada em “Queer Eye for the Straight Guy”. Não me ligue, não fale comigo, não olhe pra mim durante o programa, porque eu saio do corpo. Eu queria todos aqueles Fab Five pra mim, arrumando minhas roupas, minha casa, meu cabelo e sendo engraçados. É uma injustiça que só homens possam se inscrever no programa, eu queria muuuuuuito me inscrever, os caras fazem milagres. O programa de ontem foi emocionante, eu quase chorei na hora em que o mocinho, agora todo bem arrumado, despediu-se emocionado das bibas e foi pedir a namorada em casamento, na tenda marroquina que os cinco armaram no quintal. E ela aceitou, é claro. Depois de comer aquele sobremesa gigante de chocolate com framboesa, eu também aceitaria qualquer coisa.
Será que demora muito pro Brasil começar a copiar esse programa? E se copiar, será que as bibas brasileiras serão tão talentosas quanto as cinco americanas?

quinta-feira, novembro 27, 2003

Pode ser que eu esteja meio bêbada, mas quase explodi de rir com isso. Sempre que estiver num dia ruim, vou lembrar disso e rir.
Dificilmente alguém no mundo inteiro está mais feliz do que eu nesse momento. Acabei de descobrir que vou ter quinze – QUINZEEEEE – dias de folga no final do ano. Descobri, também, que vou receber por um frila que fiz no meio do ano e tinha esquecido que tinha dinheiros para receber. Ê-ba.

quarta-feira, novembro 26, 2003

Malditos seguranças. Deviam ter deixado o João Gordo enfiar a corrente goela abaixo desse candango louco.
Polícia investiga estupro no apartamento do "Real World" da MTV
E nenhuma câmera gravou isso? Humm, marmelada hein? Se fosse aqui, não só gravariam a cena e passariam incessantemente, como fariam proposta pra menina ser a próxima capa da Sexy.

segunda-feira, novembro 24, 2003

E ontem fui na feira do livro infantil e de quadrinhos. Está muito, muito legal e tem uns estandes enooooooooooooormes só de quadrinhos, que é uma coisa de enlouquecer. E tem livros de adulto também, novinhos e por preços muito em conta. Confesso que comprei um livro (Uma Casa para o Sr. Biswas) muito mais pelo irresistível preço – R$ 9,00, do que pelo conteúdo, que eu nem sei qual é. Só sei que esse fulano ganhou o nobel, nada além. Mas me esbaldei mesmo foi nos estandes de quadrinhos – comprei “Estranhos no Paraíso”, (só o primeiro volume, viciei e agora vou ter que voltar lá pra comprar o resto), várias edições especiais de X-Men, alguns “Homem-Aranha” clássicos, dois Calvins e um Overman. Queria ter comprado o gato Fritz, mas estava caríssimo. Deixei esse e Sin City para a próxima. De livro mesmo, comprei dois da Agatha Cristhie, que estavam baratinhos. E ainda ganhei uma caralhada de revistas de grátis e uns 38 mil marcadores de página. Adoro feiras, adoro de todo meu coração.
Esse fim de semana era para eu ter bancado o lagarto nas areias escaldantes da pérola do Atlântico, bem feliz e contente. Mas daí não fomos na sexta porque ficou tarde, no sábado acordamos à uma da tarde e ficamos de preguicinha, daí já eram seis e acabamos não indo. Se bem que até que foi bem bom, considerando que todos os planos furaram. Sabadão foi dedicado à busca do apartamento perfeito, que estou chegando à conclusão que não existe. Quando é grande, bonito e barato, o bairro é uma bocada. Quando o bairro é bom e dá para pagar, é pequeno e não cabemos eu e minha família chinesa. Quando tem tudo, é caro. Um inferno. Mas eu gosto. Queria ganhar dinheiro procurando apartamento para as pessoas.
A visita à locadora foi muito eclética. Aluguei “Embriagado de amor” e achei meia-boca. O Gordo pegou Jackass e eu fiquei enchendo o saco porque achei que era um absurdo a gente pagar pra ver os negos se estabacarem e vomitarem. Paguei a língua. Acho que foi o filme mais tatubolístico que vi esse ano. Minha barriga doeu e doeu de tanto rir. E tinha um jackass beeeem bonitinho, só que ele perdeu todo e qualquer encanto ao enfiar um carrinho no fiofó.
A verdade verdadeira é que tem horas em que nada pode ser melhor e mais fácil do que rir do tombo alheio.

sexta-feira, novembro 21, 2003

Depois de uma semana de enxurrada de más notícias e trabalho saindo pelo... hã, pelo ouvido, e um pouquinho de cu doce que eu também sou filha de deus, achei que essa punhetagem de blogs já tinha dado o que tinha que dar. O problema é que esta coisa, assim como a punhetagem propriamente dita, vicia. Eu já não penso como as pessoas comuns, penso em forma de posts e entre aspas. Nada me restou, a não ser voltar para o recinto.
Mas no fundo, eu nunca tive a intenção de desertar, tava só fazendo uso da penseira. Por isso passei uma semana longe de todo e qualquer blogs e agora fiquei surpresa com todos esses comentários bonitos e queridos. Obrigada.
E, bom, o que me fez voltar mesmo, MESMO, foi que estou cheia de dúvidas existenciais, de alto teor filosófico, cujas quais não consigo esclarecer por mim mesma enquanto serrumano. Por exemplo:
- Devo comprar um Scarfun azul ou preto?
- Devo cortar e pintar meu cabelo como o da Jean Grey em X-Man 2?
- Devo comprar calças capri na Renner ou na José Paulino? com o mesmo $$, na Renner eu compro menos, mas acho que a qualidade é um pouco melhor. Porém a José Paulino tem tantas opções variadas e as imitações são ótimas, se vc souber onde procurar.
- Devo procurar apartamento na Pompéia?
- Devo procurar tratamento para me livrar dos sonhos que tenho tido com o dr. Luka Kovac?
- Devo casar ou comprar uma bicicleta?
Ai, ai.
E agora voltamos com nossa programação normal.

sexta-feira, novembro 14, 2003

Tristeza não tem fim, felicidade sim.
Este blogs encontra-se fechado para balanço.

terça-feira, novembro 11, 2003


Alguém sabe me dizer que música é aquela que toca na propaganda do Axe Seco?
Não é meio estranho que atualmente minhas duas séries favoritas sejam "Six feet under" e "Dead like me"?
Surreal MESMO foi ver o George Foreman no programa da Ana Maria Braga. Se bem que ouvi dizer que ele tem um programa de culinária, ou é garoto propaganda de uma grelha, algo assim. Ai, que triste fim.

quinta-feira, novembro 06, 2003

Matrix de Lego.
Minha campanha contra o uso de sungas cresce e ganha apoio internacional.
Tenho certeza absoluta de que cuspi um pedaço do meu pulmão na aula de boxe ontem. Foi mais ou menos no quinto ou sexto pulo que dei na corda. Depois fiquei uns trinta segundos sem ar. Pedi ao pai do céu que me deixasse viver e jurei que, se sobrevivesse, nunca mais fumaria. Claro que não cumpri. Em todo caso, isso só acontece porque eu ainda não aprendi a dar aqueles pulinhos curtos. Dou pulos ridículos de quase três metros de altura e nunca consigo dar mais que cinco pulos seguidos porque, se não fico roxa e sem ar, tropeço na corda ou ela se enrosca no meu cabelo. Pareço um canguru branco, peitudo, gordo e decrépito. Até quando suportarei tanta humilhação?

quarta-feira, novembro 05, 2003

Ontem me dei ao desfrute de comprar uma lata de Guiness e bebê-la inteirinha, sozinha e escondidinha para ninguém me pedir um gole. Se bem que não tem muita gente que goste dela mesmo. Minha mãe disse que parece chá de boldo, meu pai disse que parece mijo de velho (e não me pergunte como ele sabe que gosto tem mijo de velho, pelamordedeus).
O fato foi que eu tive 40 minutos transcedentais, deitada em minha rede, bebendo minha Guiness, que é uma cerveja tão santa que não dá nem vontade de arrotar. Se eu ganhasse na mega sena, ia comprar uma piscina de Guiness. Com cascata.
Hoje, caí na real e voltei pra Skol beats.

segunda-feira, novembro 03, 2003

Querido Deus:
Quando é que eu vou parar de sentir essa sensação de quase-morte que me acomete durante as aulas de abdominais? Quando???? E aí eu me pergunto: será que vale a pena tanta dor, tanto ranger de dentes?
Argh.
Quando eu digo que meus óculos equivalem à uma cirurgia plástica não é força de expressão. Ficamos todas com cara de assassinas de aluguel. Tudo bem que em alguns casos, tá mais para aluguel do que pra assassinas.

sexta-feira, outubro 31, 2003

Jesuis, que noite engraçada a de ontem. Só a mulherada reunida no Brahma, pelo aniversário da Simone. Pensei que meu apêndice fosse estourar de tanto rir. Alexal, aquela mulher sem respeito, ficou fazendo chacota do bililiu dos velhinhos em alto e bom som, num bar cheio de velhos. Um velho barrigudo fez fon-fon na Isa. Casé se metamorfoseou em Joey Ramone. Simone contou que o João Gilberto é tão chato, mas tão chato, que o gato dele se suicidou. E eu fiquei num fogo que dava para me flambarem. Decidi que agora cerveja não faz mais efeito e só bebo uísque. Bebi três copos de um troço – devia ser Passport - mais aguado que o feijão da minha mãe (aliás, feijão é um assunto sobre o qual eu vou ficar sem falar por uma década depois do que foi dito ontem) e acordei numa ressaca dos diabos. Haja Neosaldina.

quinta-feira, outubro 30, 2003

Nada, absolutamente NADA me deixa mais feliz do que descobrir que o manequim da minha calça diminuiu um número.

quarta-feira, outubro 29, 2003

Este é o carro dos meus sonhos. E pouco me importa se ele anda muito ou pouco, ou se é velho, ou se os outros acham feio. Primeiro porque eu dirijo mal bragaralho, segundo porque ninguém vai querer roubar e terceiro porque é muito barato. Juro que vou começar 2004 num desses.
hehe.
Gafe.
Ao contrário do que muita gente pensa, eu não vou à mostras ou festivais de cinema. A menos que eu trabalhe neles. Não vou porque não gosto do público, não gosto da maneira como tratam esses eventos - chamar de "a mostra" é coisa que me irrita muito, não gosto. Se algum filme me interessar, alugo depois na 2001, sem precisar respirar o mesmo ar que aquele gente de óculos de aro preto (muitos até nem são míopes).
Porém, ontem fui tomar uma cerveja com Lucila e Oswaldo e os dois tanto estorvaram que acabei topando ir com eles ver um filme da "mostra". Chegamos lá e o cinema estava infestado de gente eufórica falando que ia ver esse, depois aquele, depois aquele outro. A frase que mais ouvi foi: "vc não po-de perder esse". A gente ia ver um filme palestino. Ou israelense, sei lá. Era de algum lugar em guerra e se chamava "A Clheita das Olivas". Estávamos na fila para comprar o ingresso mas já com meio pezinho pra fora quando um cara SEN-SA-CIO-NAL que estava atrás da gente na fila comenta com o amigo:
"Como que chama esse filme mesmo?"
"A Colheita das Olivas"
"Olivas? Pô, eu detesto azeitona, vamos ver outro?"
Tive vontade de dar um beijo naquele cara. Depois disso, obviamente saímos da fila e voltamos pro bar. Só me arrependo de não ter convidado os dois para ir com a gente.

segunda-feira, outubro 27, 2003

Como sempre e mais que nunca, amoreco.

STILL IN LOVE WITH YOU
Big Bad Voodoo Daddy

So, when it rains, I'll shield you head.
And when you cry, I'll wipe those tears.
Because it's you through all these years,
And I'm still in love with you.

Drop to my knees at Christmas time,
And ask you please if you'd be mine,
Because it's you through all these years,
And I'm still in love with you.

We walked the streets of the Crescent City,
We held hands in China Town.
We watched the sun go down on the ocean blue.
That's when I knew that I would always love you.

So when the day turns into night,
I know that everything's all right.
Because it's you through all these years,
And I'm still in love with you.

Yes I'm still in love with you

sexta-feira, outubro 24, 2003

Não tem jeito.
Definitivamente, eu gosto da Dido. O CD novo é cheio de músicas de alcova, todo delícia.

quinta-feira, outubro 23, 2003

Meu filho, minha vida, meu pobre eunuco.
Mané Garrincha, minha razão de viver:




Assisti “Aos 13” ontem e vi toda a minha adolescência passar diante dos meus olhos. Fiquei deprimida. Queria ainda ter 14 anos e ser uma drogada perdida na vida.

quarta-feira, outubro 22, 2003

terça-feira, outubro 21, 2003

Mas que merda.
Que grandissíssima merda frita.
Alexal descobriu que eu tenho uma irmã gêmea. É idêntica mesmo, coitada. Vão lá no blogs dela e vejam a foto, que estou com preguiça de linkar aqui.
Das duas uma. Ou todo mundo tem mesmo um duplo, o que eu não duvido, e nesse caso será difícil descobrir quem é o duplo mau. Provavelmente eu, já que ela ganha medalhas. Ou então minha mãe teve gêmeas, mentiu para toda família (dizendo que era uma criança só) e vendeu um dos bebês para uma família inglesa abastada. A conclusão disso é que essa prostituta da judéia da minha irmã gêmea cresceu cercada por cavalos, provavelmente tem um barco, conhece a Cornualha e viaja o mundo ganhando medalhas, competindo em alguma droga de esporte. E eu nessa merda. Ô mundo injusto.

segunda-feira, outubro 20, 2003

Esse final de semana descobri uma técnica infalível para pegar bons lugares no cinema. Mas só dá certo quando o filme é forte ou esdrúxulo. Sente-se sempre perto do casal de velhinhos. Geralmente eles chegam cedo e pegam uns lugares ótimos. Então, sente perto deles. Pode ter certeza que eles vão embora antes da metade do filme, ou na primeira cena de sexo mais hardcore que aparecer e daí vc pega o lugar deles. Deu certo em Irreversível, Secretária e A Última Noite. Porém, não tente fazer isso em comédias românticas. Eles não vão embora desses filmes e ainda ficam tentando adivinhar tudo o que vai acontecer, falando sem parar.
Caralho. Renato fez um post que eu gostaria de ter feito. Gostaria, não. Deveria. Deveria ter dito, porque é verdade. Se há uma coisa que eu odeio é não ser fodona em coisa alguma. Nem muito boa, nem muito ruim. Quer dizer, talvez eu seja a pior dançarina do mundo, mas talvez exista gente ainda pior do que eu. Só que, ao contrário dele, não acho que isso seja perfeccionismo, não. É só uma constatação. E o pior é que eu nem tenho vontade de me aperfeiçoar em nada. Tudo que eu queria saber fazer bem eu não talento para fazer. Eu queria saber, por exemplo, tocar trompete e desenhar BEM. Nunca tentei tocar trompete e não sei desenhar nem um bonequinho de palitos. Vou ali tomar um Dreher e já venho.

sexta-feira, outubro 17, 2003

Não sou ciumenta, juro. Não sou mesmo. Acho que tenho mais ciúme de amigo do que de namorado. Deixo meu namorado viajar com as ex e dava as revistas Vip que eu ganhava da Abril pra ele. Se passa uma tremenda gostosa na rua, eu fico indignada e mostro pra ele. Depois até fico com um pouco de raiva por ele ter olhado e dou um beliscão, mas não passa disso. Mas confesso que tem horas que fico cega de ódio. Tem horas que eu queria encher de porrada todas essas vagabundas que paqueram ele. Tem muito mais mulher fantasiando com mecânico do que eu imaginava. Mas depois que passa a cegueira de ódio - já que não há nada mesmo que eu possa fazer com as tais vagabundas anônimas - fico toda felizinha. Porque afinal de contas, todo mundo quer mas só eu tenho um mecânico lindo, que lembra (muito vagamente) o Ewan McGregor. *Suspiros*.

terça-feira, outubro 14, 2003

Entrevistar bispo é uma dificuldade. Nunca tinha feito isso. De qualquer modo, não é uma coisa natural. É tipo entrevistar extraterrestre. Vossa excelência, o exrtaterrestre. Tem toda essa chatice de forma de tratamento. Não sei como chamo o cara. É de caro bispo, senhor dom, seu padre...? Daí me disseram que tem que chamar de vossa excelência reverendíssima. Imagina eu no telefone falando: “Mas vossa excelência reverendíssima está recuperado? Quais os planos de vossa excelência reverendíssima para o futuro? Qual a opinião de vossa excelência reverendíssima sobre o fome zero?” Ai, meu cu. Cada uma que me arrumam. Mês passado a tarefa era encher o saco de um cara metralhado. “Oi querido, e aí, conta tudo sobre como foi tomar todos aqueles balaços, o povo quer saber!”
Todo dia me pergunto por que foi mesmo que fiz jornalismo. Devia ter me mantido firme na opção por Oceanografia. Cu.

sexta-feira, outubro 10, 2003

Meu melhor amigo no mundo, Horhe Rossé, vulgo Ginho, acaba de nos comunicar que está grávido. Caraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaalho!!!!!!!!!!! Estou loucamente feliz e um pouco histérica. Ao mesmo tempo que é estranho me dar conta que a minha galera, meus amigos pra vida toda, já estão tendo filhos, por outro é uma delícia já ficar fazendo um milhão de planos sobre como mimar e estragar o pequeno. Uma coisa louca!! Não consigo tirar o sorriso bobo da cara!
E algo me leva a crer que, sendo filho de quem é, esse é o destino que espera o pequetito:

Vá, adote e seja uma pessoa mais feliz:

2º Vira-Lata é Moda
Onde: estacionamento do Hotel Meliá Office Park
r. Verbo Divino, 1.323, São Paulo
Quando: sábado e domingo, 11 e 12/10, das 10 às 17h
Quanto: gratuito
Duzentos cães e gatos retirados das ruas esperam encontrar um dono na segunda edição da feira "Vira Lata é Moda", que acontece nos dias 11 e 12 de outubro no hotel Meliá Office Park, em São Paulo. Promovido pela ONG Território Selvagem, o evento é uma boa dica de passeio para o Dia das Crianças e pode ser também uma solução para o presente da garotada.
Os organizadores garantem que todos os bichos da feira passaram por um longo processo de recuperação. Eles foram tratados, vacinados, castrados e acompanhados por uma equipe de veterinários. Para garantir que os animais continuem sendo bem tratados, só pode adotar um cão ou gato quem for maior de 18 anos de idade. É preciso apresentar RG e comprovante de residência no ato de adoção.
Nossa, que bosta o capítulo de ontem da novela. Que edição horreeeeeeeenda. Num momento estão todos chorando e sofrendo no enterro do pobre pirralho. No outro, todos felizes e recuperados no casamento da Helena, a professorinha fogosa. Marcinha nem emagreceu de sofrer. Mas isso nem vem ao caso. A pergunta que não quer calar é: de onde Marcos, o raqueteiro, tirava tanta grana?? Ele nunca estava trabalhando, e mesmo assim tinha grana o suficiente pra ficar comprando jóias cafonas pras mulheres. Eu acho toda essa coisa de ouro e champanhe muito cafona, Maneco adora. Mas enfim. Eu aposto que Marcos era, na verdade, diretor de conteúdo de algum site da Internet.
Cheguei à conclusão que eu tenho um único objetivo na vida. Só unzinho. Comprar um sítio enorme e encher de cachorros e gatos. Depois que eu alcançar este objetivo, meu novo objetivo será ensinar todos os cães e gatos a fazerem cocô no lugar certo.
Odeio quando minha sombrancelha fica no ponto em que está: muito curta para ser arrancada e muito comprida para ser notada. Arght. Parece barba de bandido. Nojo.

quarta-feira, outubro 08, 2003

Estou revoltadíssima com a morte de Fred.
Isso é uma clara demonstração de que o autor não sabia o que fazer com o caso do frangote raquítico de 18 anos com a professora sarada de 40. Além de matar o vilão, incentivando todas as mulheres que tomam porrada a matarem seus algozes, o cara ainda reforça o preconceito contra o romance de jovens e velhas. É, porque se o Fred fosse Freda e Raquel fosse Roque, os dois sem dúvida terminariam juntos.
Mas uma coisa eu tenho que admitir: prefiro MIL VEZES que ele morra do que que fique de parzinho com aquela chatonilda-mor da Marcinha Pitty Webbo. E espero que ela morra de depressão após a morte dele. Candanga louca, chata e sem-sal.
Finalmente entendi o significado da expressão "trabalho que não acaba mais".
Socorro.

segunda-feira, outubro 06, 2003



Ducaralho!
Saco. Só porque hoje estou com a gastrite bombando, acordei morrendo de vontade de comer um x-salada bacon com porção de torresminho e cerveja.

sexta-feira, outubro 03, 2003

Amada Casé fez um papel de parede em minha homenagem.
Nem preciso dizer que morro de orgulho cada vez que olho pra ele na minha tela, né?
Argh. Hoje vou ter a primeira consulta com o psicólogo filantropo. Não sei se quero ir. Acho que não vou. Argh.
Ah jesus.
Esse mundo tá perdido. Tenho amigas agora que frequentam puteiros chamados Cute.
Podre de gripe. Todo ano eu tenho uma gripe que me deixa imprestável e perco a voz e a garganta dói. Mas eu nem tou achando ruim. Pelo menos tenho motivos para ficar em casa e ver a novela. Espero que essa gripe dure até a novela acabar. Além do mais, adoro quando minha voz fica assim rouca. Eu sempre tenho a esperança de que, depois que a gripe passar, a voz vai continuar rouca. Mas, infelizmente, em dois ou três dias, ela volta a ser a mesma taquara rachada de sempre. Droga.

terça-feira, setembro 30, 2003

Todo mundo continua mais duro que pau de tarado na firma. Daí hoje a Lizandra deu uma idéia que é caso de se pensar mesmo. Será que aquela revista Brazil (com Z mesmo) paga pra tirar foto nossa? Porque daí a gente poderia fazer um ensaio no estilo "Garota Pastorinho" com o saco do supermercado na cabeça. Ninguém nunca ia saber que éramos nós, nossa reputação continuaria ilibada e nossa conta bancária engordaria. Ou não.
Quanto será que essa revista paga hein? Será que os sacos do Pastorinho ainda são de papel?
Argh, não são promessas que foram feitas para ser quebradas, são regras. Pobres dos meus santinhos.
Sim, prometi que não punha mais letra. Mas promessas só são feitas para serem quebradas mesmo né? Sofrendo de grave paixonite aguda. Gostosim.

Can't Take My Eyes Off You

You're just too good to be true,
Can't take my eyes off of you.
You'd be like heaven to touch
I wanna hold you so much,
At long last love has arrived,
And I thank God I'm alive.
You're just too good to be true,
Can't take my eyes off of you.

Pardon the way that I stare,
There's nothing else to compare,
The sight of you leaves me weak;
There are no words left to speak.
But if you feel like I feel,
Please let me know that it's real.
You're just too good to be true,
Can't take my eyes off of you.

I love you baby, and if it's quite all right,
I need you, baby, to warm the lonely night.
I love you, baby, trust in me when I say:
Oh pretty, baby don't bring me down I pray,
Oh pretty baby, now that I've found you,
Stay and let me love you, baby, let me love you.

You're just too good to be true,
Can't take my eyes off of you.
You'd be like heaven to touch
I wanna hold you so much,
At long last love has arrived,
And I thank God I'm alive.

You're just too good to be true,
Can't take my eyes off of you.

I love you ...
baby, and if it's quite all right,
I need you baby, to warm the lonely night,
I love you, baby trust in me when I say

Remédios para a gripe me deixam mais disléxica do que o normal.
Duh.
Resolvi seguir os conselhos do Renato e fiz uma planilha de gastos.
Se funcionar, pode ir escolhendo outro livro.

sexta-feira, setembro 26, 2003

Hoje eu tou assim



Quero minha cama!!
Post revolta e que ninguém vista a carapuça, a menos que sirva.
Faz tempo que não falo sobre tipos de gente que odeio. E há um tipo que eu odeio mais do que todos os outros e do qual talvez eu nunca tenha falado. Existe um tipo de gente especialmente ruim e que devia morrer de gonorréia. Sabe aquela pessoa pequena, em tudo (menos em tamanho viu, Casé)? Pequeno-burguesa, de alma pequena, de mente de pequeno alcance, de vontade pequena? Aquela pessoa extremamente covarde, arrogante e burra, tremendamente estúpida, que adora, tem orgasmos múltiplos quando tripudia em cima do mais fraco, quando tortura quem pode menos, mas que jamais é capaz de peitar alguém que pode mais. Talvez se acovardem por saber que não tem capacidade de ganhar uma discussão, por não ter argumentos, por só saber intimidar. E o pior é que esse tipo de gente é tão burra que também geralmente é arrogante porque acha que tem mesmo algum valor. O mais gostoso é ficar de fora, apreciando a cara de ué que essa gente faz quando descobre que é exatamente o contrário.

quinta-feira, setembro 25, 2003

O show de ontem foi a coisa mais linda da face da terra. Uma experiência extra-sensorial assim Odara que me levou às lágrimas.
Sério mesmo, talvez tenha sido o melhor show do ano. Eu tenho a impressão de que se a gente deixar, se se entregar pra música, a gente incorpora um santo - ou uma pomba-gira. O fato é que, depois que a música começou, eu não vi mais nada nem ninguém em volta. Saí de lá de alma lavada, leve e absurdamente feliz.
E também loucamente apaixonada pelo Lirinha. Passei a noite inteira sonhando em como seria acordar todo dia de manhã e olhar para aquele zóim pequenim no travesseiro ao lado. Em com aquele peito pelado. E com a boquinha. E com o resto todo. Acho que ele e Selton são os únicos homens do mundo que podem aparecer na minha frente de sunga, pochete e Raider com massageadores que eu não vou me importar.
*Suspiros*

quarta-feira, setembro 24, 2003

Caralho. Me bateu uma saudade louca daquele apartamentinho de dois quartos em frente à Federal de Florianópolis. Ai, ai tempo bom que não volta nunca mais.
Odeio matemática. Vcs já notaram que a maioria das perguntas mais constrangedoras do mundo tem a ver com essa ciência maldita?

- Quantos anos você tem?
- Quanto você pesa?
- Quanto você ganha?
- Quanto tempo faz que você não vai à depilação?
- Quanto você pagou nessa saia vagabunda?
- Com quantos você já saiu?
- Isso são horas?
- Ué, cadê o resto? Achei que era maior.
- Quanto tempo falta para você terminar esse serviço ridículo que eu te passei e que você já deveria ter acabado se não ficasse blogando?

E outras não.

- Nossa, será que seu desodorante venceu?
- Mas já acabou?
- Credo, você NÃO VIU esse filme, sua burra?
- Você ainda não terminou com esse cara?
- Você gosta mais da sua mãe ou do seu pai?
- Ah, você não fala inglês?
- Quer ser madrinha do meu casamento?

terça-feira, setembro 23, 2003

Rafa pediu, eu divulgo:

A PARTIR DE 25 DE SETEMBRO SÃO PAULO NÃO SERÁ MAIS A MESMA

A Pantera Negra Produções apresenta a FESTA CONEXÃO, o melhor e maior evento negro de todos os tempos, trazendo muita música black para quem
curte anos 70, rap, funk, R&B e samba-rock.

Idealizada pelo DJ KL Jay, dos Racionais MCs, junto com a Pantera Negra
Produções, a FESTA CONEXÃO será mensal e quer repetir o sucesso das festas
organizadas anteriormente. A primeira edição da FESTA CONEXÃO é dia 25 de
setembro, a partir das 22:30. Contará também com as discotecagens dos DJs
Will e Ajamu.

Para participar da maior noite black de São Paulo, além da entrada você
terá que levar também um quilo de alimento não-perecível, que será doado ao
Fome Zero.

Quem curte black music não pode perder!

O quê: Festa Conexão
Quando: 25 de setembro de 2003, a partir das 22:30
Onde: Rua Tabapuã, 1427, Itaim
Quanto: R$ 20 homem (R$ 10 de consumação) e R$ 15 mulher (R$ 5 de consumação) + um quilo de alimento não perecível

segunda-feira, setembro 22, 2003

Aliás, o filme era "A Liga Extraordinária", que é besta.
A única conclusão que tirei dele foi que aquele tal de Capitão Nemo deve ter um pauzinho muito pequenininho.
Tadinho.
Bom, então agora é fato.
Tenho certeza de que sou uma pessoa mentalmente doente. Ontem fui ao cine com o Gordo e fiquei o caminho inteiro (rumo ao shopping) reclamando da falta de dinheiro, de como a vida estava difícil e sofrida e dos meus planos de começar a trabalhar da meia-noite às seis para saldar as dívidas. Chegando ao shopping, fomos dar uma voltinha esperando dar a hora do filme. Dei o azar de passar na frente da Levis. Tinha uma bolsa linda lá dentro. Comecei a ter um ataque e dizer que eu precisava entrar lá pelo menos para saber o preço. Ele me puxava para fora e eu fazia força para entrar na loja. Roía a unha, gritava que só queria olhar e fazia força para voltar à porta da loja, enquanto ele praticamente me aplicava um mata-leão, explicando que eu já tenho 38 mil bolsas. Eu gritava: "Mas eu não tenho AQUELA bolsa, me deixa voltar lá, por favor". Quando ele finalmente conseguiu me levar à porta do shopping para tomar ar fresco, eu tremia e estava praticamente aos prantos, em verdadeira crise de abstinência de compras.
É horrível ter de admitir o vício perante familiares e pessoas queridas. Muito sofrido. Mas o pior de tudo é que a bolsa era realmente linda e eu ainda acho que preciso dela mais do que tudo no mundo.
Quarta tem show do Cordel. Tenho precoceito com eles por causa do nome da banda, que acho muito cabeça-porra demais da conta. Mas me rendi depois de “O Amor é Filme”, que eu aposto e ganho como eles não vão tocar no show. De qualquer forma, tenho de comemorar os últimos acontecimentos e o showzinho me parece uma boa pedida.

sexta-feira, setembro 19, 2003

Eu amo comprar all stars novos, de cores diferentes. Agora comprei um verde militar liiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiindo. O mais legal é que cada cor de all star me lembra uma fase da vida, já que o uso desde os 15 anos. O preto, cano alto, adolescência, dos 15 aos 17. Preto, cano baixo, pré-faculdade, dos 17 aos 18. O branco, fase universitária, 18 aos 20. O vermelho, deprê pré TCC, 20 aos 21. E o azul marinho, fase cool e indecisa, 22 aos 24. Vamos ver qual vai ser a fase do verdinho...
O que eu não entendo mesmo é por que o All Star só fica realmente confortável quando já está quase na hora de jogar fora?? Inferno.

quinta-feira, setembro 18, 2003

Comprei minhas próprias luvas de boxe. Usar as da acadimia num dá não. Fede feito o porão do inferno. As minhas, em compensação, são lindas, vermelhas e com cheirinho de novas. Dá até dó de usar... Sabe que só de pensar nas aulas já sinto minhas coxas mais rijas, meus peitos mais orgulhosos e meus braços mais torneados? Rocky Balboa sabia das coisas.
É nóis.
Estava eu ontem zapeando os canais, entre um comercial e outro, e vejo que a Fox está reprisando DE NOVO aquela bomba chamada "Sabor da Paixão". Acho que esse é o filme mais pior de ruim dicumforça que já existiu. Eu nunca consegui assistir inteiro porque fico com vergonha e mudo. Mas daí ontem peguei na parte em que Murilo Benício dá pití com Iemanjá e sai chutando areia. Quando eu reparo bem na cara dos dois amigos de Murilo, quem vejo? As duas novas sensações e promessas do cinema nacional: Lázaro Ramos e o gatíssimo do Wagner Moura. Fiquei de cara. Os negos devem ter ficado com tanta vergonha de ter feito esse filme que nunca contaram pra ninguém que pagaram o mico de ficar lá vestidos de pescador de butique, gritando "C´mon, man, come here!".
E o filme ainda tem a participação de uma pá de outros brasileiros, entre eles o Jonas Bloch, que entra mudo e sai calado. Ai, dó.

quarta-feira, setembro 17, 2003

A Paulista é sem dúvida a avenida mais surreal de SP. Hoje, voltando do almoço, vi três cenas absurdas em um único quarteirão – aquele em frente ao Parque Trianom. Numa ponta da esquina um cara segurando a bíblia berrava passagens sobre o dilúvio e dizia que um novo dilúvio se aproximava e que a humanidade estava condenada. No meio do quarteirão uma aleijado fazia cover da Cássia Eller, acompanhado de banda e tudo. E o pior é que o cara tinha a voz idêntica à da falecida, assustador. E na outra ponta da esquina, um homem-estátua, pintado de prateado, catava guimbas de cigarro do chão, enrolado em um lençol. Esse lugar é muito mais legal que circo. E de grátis.

segunda-feira, setembro 15, 2003

Que acontece com esse blogs? Por que meus posts estão sendo sabotados?
"Tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo".
Mais um final de semana sen-sa-cio-naaaaaal em Monte Verde. Altos campeonatos de sinuca no Castelo de Caras serrano. Consegui a proeza de vencer duas partidas encaçapando uma única bola. Genial eu. Tava um frio da Patagônia de novo. É impressionante como a gente come no frio. Tenho a impressão que passei o tempo todo mastigando. A não ser nas horas em que eu estava bebendo. Impressionante como a gente bebe no frio. Foram duas garrafas de uísque em 5 horas – em três pessoas.
A única coisa ruim de lá é que parece que a cidade foi planejada para receber só casais. Todos os restaurantes tem só cadeiras em números pares (geralmente duas ou quatro) e vela na mesa. Vela tava me sentindo eu, com dois casais. Pior que isso só o pobre do Damiano, que foi pra lá com um casal e duas tchecas frígidas.

sexta-feira, setembro 12, 2003

Posso me repetir? Porra, o CD de "Lisbela e o Prisioneiro" é ducaraaaaaaaaalho. Não canso. Hoje devo ter escutados umas 12 vezes seguidas. Até Loser Manos tá legal. E é em homenagem a este CD que posto a última letra de música que este blog terá. Criei vergonha na cara e fiz um blog só para por as letras de música e explicar por que gosto delas. Como é muito chato e só vai servir como arquivo das músicas que gosto, não divulgarei a URL. E sim, eu estou marrampeando no siviço. Mas que essa música é ducaralho, é.

O Amor é filme

Lirinha

O amor é filme..
eu sei pelo cheiro de menta e pipoca quando a gente ama
eu sei por que sei como a cor da manhã fica
da felicidade, da dúvida, da dor de barriga
é drama, aventura, mentira, comedia romântica
Um belo dia a gente acorda
um filme passou por a gente
e parece que já se anunciou o episódio dois
é quando a gente sente o amor
se apuletar na gente
tudo acabou bem
agora é o que vem depois
O Amor é filme
eu sei pelo cheiro de menta e pipoca quando a gente ama
eu sei por que sei como a cor da manhã fica
da felicidade, da dúvida, da dor de barriga
é drama, aventura, mentira, comedia romântica
é quando as emoções viram luz
e sombras e sons, movimentos
e o mundo todo vira nós dois
dois corações bandidos
enquanto uma canção de amor
persegue o sentimento
o swing da ré e sobem os créditos
O amor é filme e Deus espectador
Acabo de ficar muito surpresa. Na verdade, uma das maiores lembranças da minha infância acaba de ser completamente destruída. Ou pelo menos bastante reformulada. Descobri que aquela parte do poeminha: “Batatinha quando nasce, se esparrama pelo chão” está errada. Todo mundo declama errado. O certo é “Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão” (Rama: 3. Bras. N.E. Primeiras folhas que crescem nas árvores após as primeiras chuvas. 4. Barbas). Sem graça né? Gostava muito mais quando elas se esparramavam luxuriosamente. Esse e outros virunduns engraçadíssimos aqui.

quinta-feira, setembro 11, 2003

Fui obrigada a recortar a fotógrafa, para não ser esquartejada por ela. O fato é que hoje eu estou sentindo uma inveja extrema da Isa, que não apenas conversou com Seu Barriga/Nhonho, como tirou foto com ele. E aposto que ela fez cuti-cuti na pancinha dele.

Atualização: Leiam a matéria da Isa sobre ele, pô!!

Inverno filho de uma puta. Me obrigou a fazer uma coisa muito, muito humilhante hoje. Sinto muito, mas eu comprei um mijão.

É impressionte como esses htmls malditos me perseguem. A estagiária que cuidava das coisas de web saiu e adivinha quem acumulou as funçãs da santa? Adivinha, adivinha? Inferno.
Eu não gosto de despedidas, mas a da Clau foi realmente memorável. TODA a galera da época de ouro do BOL (à excessão do Lavieri, que não esteve de corpo presente mas foi bastante lembrado), saudaaade que bateu... E já aproveito para deixar um recado: menina Claybom, tudo de bom pra vc, viu!? A gente se vê em abril! (reparem na rima primorosa)
Depois fomos pro show da Nação Zumbi, que só tocou umas quatro músicas. Ainda bem que o Rafa é um homem que me ajuda e pagou pra mim. Daí a Nação se foi e ficou só o zumbi, no caso eu, morta de sono.

quarta-feira, setembro 10, 2003

Só mesmo uma pessoa muito monetariamente desesperada guardaria seu cartão de crédito no meio da coleção de santinhos. É o meu caso. Ele está entre Santo Expedito e Santa Rita de Cássia. Fé, muita fé é o que me resta.
Secretária é um dos filmes mais legais do ano. Entrou para o top 5 2003 com louvor.
É completamente esquisito e fora de esquadro, torto, perturbador, engraçado. Adoro!! E tem a admirável vantagem de contar uma história de amor (é sim de amor!) bem mais próxima da realidade da maioria das pessoas do que qualquer filme da Meg Ryan. Porque na vida real a gente não é feliz para sempre. Na vida real ninguém é lindo, asseado e meigo e cheio de qualidades. Na vida real todo mundo tem sua loucura e passa a vida inteira tentando escondê-la, é isso que move o mundo, eu acho. Gosto de filmes que mostram o amor assim, como uma coisa assimétrica, esquisita e bastante assustadora. É assim que é na vida real.
Além disso, a atriz principal – Maggie Gyllenhaal – encarna a menina patológicamente tímida com uma perfeição poucas vezes vista. E o James Spader até que está gatinho.
Nota 10.

segunda-feira, setembro 08, 2003

Não dá tempo de dizer nenhuma das milhares de coisas que eu tinha para dizer. Só dá tempo de dizer que comprei um hidratante pro rosto que tem cheiro de férias felizes e um lindo lápis de olho retrátil. Nunca tinha comprado um lápis de olho antes, estou muito orgulhosa de mim mesma enquanto mulher que se maquia. Além do mais, fazia TANTO tempo que eu não me comprava um agradinho que esses dois itens básicos estão parecendo os mais finos dos presentes.

sexta-feira, setembro 05, 2003

Essa tem destinatário certo.

Se Você Pensa
(Roberto Carlos e Erasmo Carlos)

Se você pensa que vai fazer de mim
O que faz com todo mundo que te ama
Acho bom saber que pra ficar comigo vai ter que mudar

Você tem a vida inteira pra viver
E saber o que é bom e o que é ruim
Acho bom pensar depressa e escolher antes do fim

Daqui pra frente, tudo vai ser diferente
Você tem que aprender a ser gente
O teu orgulho não vale nada

Você não sabe
Nem nunca procurou saber
Que quando a gente ama pra valer
O bom é ser feliz e mais nada
Noite absolutamente fabulástica a de ontem. Minha barriga ainda dói de tanto rir. Fui com Isa e Casé tomar açaí (sim, Ouriça está mesmo de volta) e botar a conversa de mais de um mês em dia. Ninguém tomou açaí algum e eu e Casé ainda entornamos vários chopes para espanto dos seres equivocados que frequentam aquele bar. Bom, sendo justa, a gente é que estava equivocada lá, porque o recinto é claramente dirigido à surfistas e lutadores de jiu-jitsu. Mesmo assim valeu muito, tava bem com saudade da patota.

quinta-feira, setembro 04, 2003

Não consigo parar de ouvir a música de Zé Ramalho com Sepultura feita para a trilha sonora de "Lisbela e o Prisioneiro"
Roooooooooooooots!!

quarta-feira, setembro 03, 2003

Yu-hu!! Novo sistema de comentários! Morra Yaccs, morra.
Por favor comentem logo, muito, porque eu não suporto ver esse zerinho aí. Começo a me sentir sozinha e impopular.
Maldito sistema de comentários.
Da série “sentimentos inexplicáveis”.
Há homens sem nenhum atrativo que, sabe-se lá deus por que, me deixam louca. Pensei nisso ontem, quando sintonizei na TNT e estava passando uma versão extremamente ruim de “O Médico e o Monstro”. Já ia mudando de canal, quando vi que John Malkovich era o médico E o monstro. Não consegui mais mudar. Esse homem é magricelo, branquelo, vesgo, tem o cabelo ensebado e mesmo assim eu sou extremamente a fim dele. Toda vez que o vejo, tenho infinitos pensamentos libidinosos. Com ele eu não queria casar. Queria ficar trancada numa suíte árabe situada em uma ilha deserta durante um mês inteiro, sem sair nem para ver a cor do céu. *Suspiros*.
Quero me casar com o Selton Mello e ter oito filhos dele.
Sou perdidamente apaixonada por ele. Ele é homem pra casar. É lindinho, fofinho, engraçado e, nas entrevistas que li dele, parece ser gente fina. Além disso, bebe e fuma – atos que aprecio num homem. Também tem um olhar muito maroto, mas parece ser meio tímido. Por fim, é do mesmo signo que eu (embora eu ache que isso é mais um defeito do que uma qualidade, já que meu signo está entre os mais chatos do zodíaco), o que significa que nosso amor está escrito nas estrelas também.
Socorro.
Acabo de ter de sair correndo da sala para ter um enorme e eterno ataque de riso no corredor.
A secretária daqui sentou no computador do meu lado e estava muito distraidinha vendo seus e-mails e cantarolando musiquinhas fofamente. Alguns minutos antes estávamos falando sobre o filme “Uma Linda Mulher”. Eis que de repente a escuto cantando: “Steve Wonder, walking down the street... Steve Wonder”.
Jesus me socorra.

terça-feira, setembro 02, 2003

Finalmente algo que explica a diferença entre a Itália e o resto da Europa. Impressionante a semelhança com o Brasil.

segunda-feira, setembro 01, 2003

Jesus alado, que baixaria.
Demorou para alguém tocar o puteiro naquela faculdade, mas pelo menos não ficaram de braços cruzados. E pelos nomes que assinaram a carta, deve ter sido um senhor puteiro. Queria estar lá pra ver!
Pena para os meus amigos que ainda estudam lá e para os que sonham em um dia estudar, porque dificilmente a faculdade vai voltar a reunir um time tão bom quanto esse.
Sempre gostei do Skank, admito. Sou brega mesmo, e daí?
Bom, mas eu sempre achei os caras muito legais, honestos e limpinhos. Acho até que eu gostava mais deles por isso do que pelas músicas mesmo. Mas confesso que essa “Três Rios” (é isso? Ou é “Dois Córregos”? Bom, sei lá) é muito, muito, muuuuuuuuuuuuito chata. Beira o insuportável. Vontade de enfiar um prego enferrujado no olho quando ela toca. Parece coisa daquela merda de clube da esquina. Eca.
Uma homenagem à época em que eu gostava deles (cafona de doer):

Leva essa canção de amor dançante pra você lembrar de mim,
seu coração lembrar de mim
na confusão do dia-a-dia no sufoco de uma dúvida,
na dor de qualquer coisa

É só tocar essa balada de swing inabalável que é o oásis do amor
Eu vou dizendo na sequência bem clichê
eu preciso de você

É forca antiga do espírito virando convivência de amizade apaixonada
Sonho, sexo, paixão
Vontade gêmea de ficar e não pensar em nada

Planejando pra fazer acontecer ou simplesmente refinando essa amizade
Eu vou dizendo na sequência bem clichê
eu preciso de você

Mesmo que a gente se separe por uns tempos ou quando você quiser lembrar de mim
Toque a balada do amor inabalável
swing de amor nesse planeta

Mesmo que a gente se separe por uns tempos ou quando você quiser lembrar de mim
Toque a balada seja antes ou depois,
eterna Love Song de nós dois

quinta-feira, agosto 28, 2003

Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto! Meu livro ficou pronto!

quarta-feira, agosto 27, 2003

Recebi um lindo cartão-postal da querida e saudosa Isa Ouriça, diretamente do Amapá. O cartão tem a foto de uma índia, que é pra gente usar como base para fantasiar a Casé em Paris e ganharmos muito dinheiro na barraquinha de produtos típicos do Brasil.
Uma das coisas que mais amo na vida é receber cartão-postal. Com o e-mail, quase ninguém mais manda cartão-postal, acho isso um saco. Quero ter uma coisa para guardar, para pendurar no mural, para ver o carimbo da cidade. Internet é uma merda.
Outras coisas que amo nessa vida, além de receber postais:

- Acordar às sete da manhã no sábado, lembrar que é sábado e voltar à dormir até às duas da tarde;
- Coçar frieira;
- Tomar banho de banheira;
- Ver quanto tempo eu aguento ficar debaixo da água sem me afogar;
- Comer churrasco na festa da Achiropita;
- Beber o chope do Bar Brahma;
- Comprar sapatos;
- Comprar bolsas;
- Cheiro de floresta depois da chuva;
- Entrar no mar quando está chovendo;
- Levantar da cadeira do dentista;
- Passar a mão na bunda do Rodrigo Santoro;
- Falar sozinha;
- Encostar o nariz no focinho dos meus gatos;
- Dar presente;
- Jogar Imagem e Ação depois de três vozes de dodka;
- Ler na praia;
- Ganhar brindes em promoção;
- Ganhar no bingo;
- Planos de última hora;
- Descobrir bandas ótimas que ninguém mais conhece;
- Procurar apartamento.

Em breve uma lista das coisas que odeio.

terça-feira, agosto 26, 2003

E saiu o boletim médico. Dotô decretou que estou com uma ridícula e muito sem-graça anemia, por isso o pequeno acidente da semana passada. Nada de grave. Agora pergunto: onde já se viu gordo com anemia?? Existe coisa mais patética do que isso? Argh.

segunda-feira, agosto 25, 2003

Você sabia que o sangue leva seis minutos para coagular? É, nem eu.
Só descobri quando o meu não coagulou nem em seis, nem em dez, nem em trinta e então eu tive de tomar choques, ficar no soro, tirar pressão e todo o procedimento médico de praxe. Podem ser muitas as razões, segundo o dotô. Diabetes, hipertensão, número baixo de plaquetas, anemia ou um simples ataque histérico provocado meu medo patológico de dentista. Porém, eu descarto essa última hipótese já que não tenho mais tanto medo desde que comecei a me tratar com a minha irmã. Eu sei que se doer, posso mordê-la. Em todo o caso, confesso que me deu um certo medinho de morrer seca, arreganhada e esturricada (pelos choques) atrás da porta.

quinta-feira, agosto 21, 2003

Por isso eu amo os arianos.

O que os signos dizem depois de transar:
Áries: "Legal, vamos de novo!"
Touro: "Estou com fome - passe a pizza."
Gêmeos: "Você viu o controle remoto?"
Câncer: "Quando vamos nos casar?"
Leão: "Não foi incrivelmente fantástico?
Virgem: "Preciso lavar os lençóis."
Libra: "Eu gostei se você também gostou."
Escorpião: "Talvez eu deva desamarrar você agora."
Sagitário: "Não me ligue. Eu ligo pra você."
Capricórnio: "Você tem cartão de visitas?"
Aquário: "Agora vamos tentar sem roupas."
Peixes: "Qual é o seu nome mesmo?"

(Descaradamente roubado daqui).
Três showzaços hoje (tá, só dois showzaços, o terceiro é uma tremenda bosta) e eu só quero ir ver Fernando.
Acho que estou apaixonada.
Saí meio cedo do trabalho ontem, estava com a maior preguiça mas não queria ir pra casa porque está chato lá. Pensei em ir ao Stand Center, mas acabaria comprando coisas e passando cheques sem fundo. Então, resolvi ir para o outro lado, em direção à nove de julho. Daí tinha uma academia na rua Rocha, com uma placa: “Promoção de inauguração: faça uma aula grátis”. Pefeito. Eu não tou fazendo nada, você também... Entrei. Tinha uma galerinha feia lá. Gostei na hora. Veio um tiozinho: “pois não? Já conhece nossa acadimia?”. Eu: “Hã... Eu queria fazer a aula grátis. Mas só se for grátis.” Ele: “Qual que é a modalidade que a senhora quer fazer? Tem karatê, Yukidô (deve ser isso), Aikidô, Kickboxe e boxe mesmo, aquele do Popó”. Eu (já pensando que senhora era a vagabunda da mãe dele): Boxe! Boxe! Boxe!
Só digo uma coisa: eu devia ter seguido carreira como pugilista. É divertidíssimoooo!!! O professor era umas oito vezes maior que eu e só o braço dele devia ser da largura do meu tórax. Deu um pavorzinho, mas ele logo me deu uma corda e mandou pular. Imediatamente começou a tocar a música do Rocky Balboa na minha cabeça. Depois de 3 minutos eu senti que meu coração ia explodir. Depois de 5 minutos pulando eu já não sentia minhas pernas, meus pulmões nem minha língua. Então os outros 5 foram fáceis, já que eu já tava numa dimensão paralela mesmo, mais um minuto eu teria visto aquele tunel de luz branca e minha avó estaria lá do outro lado me chamando com uma voz lânguida e doce. Daí o professor me apresentou ao saco de pancadas – eu juro por deus que ele se chama Fernando – e disse: “Agora relaxa e pode bater nele”. Dei um soquinho. O professor ficou olhando como se eu estivesse espantando um mosquito. Outro soquinho. E outro soquinho. Meu soco não faz nem barulho. Uma coisa muito humilhante. Daí ele disse que era pra eu descarregar a raiva mesmo. Pra pensar em quem eu não gostava e nos meus problemas. Achei aquilo muito bonito, muito terapêutico. De repente uma lista enorme de pessoas veio à minha cabeça e eu esmurrei uma por uma. Foi maravilhoso. O problema é que Fernando, o saco de pancadas, insistia em voltar cada vez que eu dava um soco forte e me derrubou umas quatro vezes. No fim, eu não apenas socava Fernando como também lhe dava chutes, arranhões e o chamava de nomes feios. Foram os 40 minutos mais rápidos da minha vida. Efetuei minha matrícula imediatamente. Às favas com a terapia. Às favas com a psicologia moderna. Eu não posso mesmo é viver sem Fernando, o saco de pancadas. Preciso dele como preciso do ar que respiro.

quarta-feira, agosto 20, 2003

Vontade de beijo roubado.
Se eu fosse um robô matador, tenho certeza que a frase que ativaria meu circuito assassino seria: “Eu não entendo você”. Argh.

terça-feira, agosto 19, 2003

Gênio.

Conflito
Zeca Pagodinho

Ai, que conflito
Roubaram o cabrito do seu Benedito
Ai, que conflito
Roubaram o cabrito do seu Benedito

O couro virou tamborim da escola
A carne do bicho entrou no palito
Assado na brasa e cerveja gelada
Muita batucada e cachaça de litro

Benedito ao dar falta do bode
Chegou no pagode com cara de aflito
Pegou o churrasqueiro e deu logo um sacode
Encheu de bolacha o Zé Periquito
Deu tiro na bola, parou a pelada
Que era apitada por Dão Esquisito
Que ao ver Benedito baixando a madeira
Ficou de bobeira engoliu o apito

Mas tinha um tal de Caroço
Que chupava um osso igual pirulito
Esse, Benedito agarrou no pescoço
E atirou no poço na hora do atrito

Pior pro cara do pandeiro
Que cantava maneiro e versava bonito
Mas ganhou uma banda, caiu no braseiro
E gritava bombeiro, me acode, eu tô frito

segunda-feira, agosto 18, 2003

Ah sim.
Achei Amarelo Manga bem maomeno. Beeeem nota 4.
Sabe filme amador? Sabe filme que fica te falando: "Olha, agora é hora rir", "Agora é hora de ficar revoltado", "Agora é hora de fica com nojo", "Agora é hora de pensar nessa citação interessante". Tudo mastigadinho demais. Faz favor né? Acho que essa fase do cinema já era. Se não era, devia ter ido. A fase do puta que o pariu a la Hermes e Renato, a fase de chocar com uma bucetona na tela, a fase da gritaria... Não é que eu detestei. Mas fiquei com aquela impressão de que a coisa bateu na trave. Que pena. Foi quase.
Há meses não me sentia tão feliz como estou me sentindo hoje. O porque não importa.

sexta-feira, agosto 15, 2003

Vou ver Amarelo Manga agora. Tomara que eu não vomite.
Caraio, que dia infernal. Siviço, siviço e mais siviço. E eu grogue de ontem.
Ontem foi espetacular. Eu, Sassê, Casé, Marquito e amigo de Marquito fomos ao Brahma. Eu tava meio cabreira de levá-los lá. Sassê, porque nunca o imaginei curtindo um show daqueles. Casé porque ela é uma incógnita em termos musicais. Pois não é que Sassê e Marquito até sambaram e casé fez percussão com a mão, porque ela é muito, muito discreta. Eu queria levar todo mundo que eu gosto lá. Não só pela banda, mas pelo lugar, pelo clima, pelo chopp trincante. E pelo piano bar, onde um homem muito desafinado toca Piazolla e uns véios deprimidos ficam bebendo whisky.

quinta-feira, agosto 14, 2003

Hoje tem Bar Brahma. Hoje tem Demônios da Garoa. Hoje já tá bom demais.

quarta-feira, agosto 13, 2003

Meu Deeeeeeeeeeeeus!!!
Ela existe mesmo!!

Ele é O cara. Não tem discussão.


Por que basta uma coisa ser proibida para eu querer muito fazer? E por que basta uma coisa ser obrigação para eu não querer fazer de jeito nenhum?

PS: Ainda deprimida.
Ouvindo "Goblin Girl", do Frank Zappa, é impossível não lembrar de pessoas que conheço. Praticamente um hino.
Aliás, O CD "Have I Offended Someone?" é cheio de hinos. Divertidíssimo.

PS: Porém, continuo profundamente deprimida.
J.K. Rowling é a pessoa mais sádica que já existiu.
Estou profundamente deprimida. Profundamente.

terça-feira, agosto 12, 2003

Zé Keti é muito mestre.
O Blen-Blen realmente vale à pena às segundas-feiras.
"Beijando Jéssica Stein" é um filme muito, muito, muuuuuuuuuito bonitinho!

segunda-feira, agosto 11, 2003

Monte Verde devia ser proibido de tão perfeito. Estou para ver lugar mais lindo. E mais gelado. Frio, frio de morrer. Mas a gente não costuma ligar muito pro frio quando pode beber chocolate quente o dia inteiro, comer fondue o dia inteiro... Além disso, tem lareira em quase todo lugar. Muito fino lareira. Meu pulmão quase explodiu com tanto ar puro, cheiroso. E todo mundo sabe que não sou nenhuma atleta. Que na realidade eu odeio trilha, odeio andar, odeio ofegar e suar. Acho suar uma coisa nem um pouco fina. Mas fiz três trilhas lá e amei todas, porque elas me levaram a lugares lindos, como esse. Já estou com muita saudade...

quinta-feira, agosto 07, 2003

Quem dera eu ser como mestre Jonas...

Mestre Jonas

Dentro da baleia mora Mestre Jonas
Desde que completou a maioridade
A baleia é sua casa, sua cidade
Dentro dela passa suas gravatas, seus ternos de linho

E ele diz que se chama Jonas
E ele diz que é um santo homem
E ele diz que mora dentro da baleia por vontade própria
E ele diz que está comprometido
E ele diz que assinou papel
Que vai mantê-lo preso na baleia até o fim da vida
Até subir pro céu

Dentro da baleia a vida é tão mais fácil
Nada incomoda o silêncio e a paz de Jonas
Quando o tempo é mau a tempestade fica de fora
A baleia é mais segura que um grande navio

E ele diz que se chama Jonas
E ele diz que é um santo homem
E ele diz que mora dentro da baleia por vontade própria
E ele diz que está comprometido
E ele diz que assinou papel
Que vai mantê-lo preso na baleia até o fim da vida
Até subir pro céu

quarta-feira, agosto 06, 2003

As pessoas podiam fazer o favor de simplesmente enfiarem a cara em seus respectivos fiofós, sairem rolando e me deixarem em paz?

terça-feira, agosto 05, 2003

Acabo de gravar mais um CD temático. Contribuição de Isadora, que foi quem fez a primeira lista. Eu só adaptei e coloquei as músicas na mesma ordem de evolução dos meus sentimentos:
1.total depressão loser,
2.tristeza blasé,
3.bom-humor suave,
4.extremo respeito e admiração profunda por mim mesma,
5.ódio do outro
6.extremo desprezo e escárnio pelo outro
Então lá vai:

Trilha sonora para os dias em que você está afim de chutar o balde:
"All By Myself", Jamie O?Neal
"Llorando", Rebekah Del Rio
"Total Eclipse of the Heart", Bonnie Tyler
"I Need a Hero", Bonnie Tyler
"I Will Survive", Gloria Gaynor
"Respect", Aretha Franklin
"Girls Just Want to Have Fun", Cindy Lauper
"What a Feeling", do Flashdance
"I?m a Maniac", do Flashdance
"Dancing With Myself", Billy Idol
"Bad Reputation", aquela da trilha do Shrek
"Walkin? on the Sun", Smash Mouth
"Police on my back", The Clash
"Malavida", Manonegra
"Pretend We?re Dead", L7
"Janie Jones", The Clash
"Anarchy in The UK", Sex Pistols

segunda-feira, agosto 04, 2003

Eu sempre achei que aqueles sutiãs com enchimento eram a maior sacanagem, caso de Conar mesmo. O cara pensa que tá levando melão e quando vai ver é uma uvinha. Deve ser chato comprar gato por lebre e tals. Sempre pensei isso. Até que ganhei um. É um volume de leve, quase não se nota, mas faz uma diferença dos diabos. Ele dá uma firmeza, uma segurança no andar, correr e pular que chega a chocar. Eu iria à um show do Jorge Ben com ele, sem medo algum de dar saltos triplos. Fora o aconchego que dá. Equivale a dormir abraçadinho.
A verdade é que não consegui trabalhar hoje. Não consigo parar de olhar para eles, é uma coisa totalmente hipnótica isso. É óbvio que para sair na rua, ponho o casaco e fecho até o pescoço porque sou uma moça muito casta. Portanto, minha lista aumentou. As maiores invenções da humanidade foram: o metrô, as lentes de contato e o sutiã com enchimento.
Quer saber? Cansei de esperar. Foda-se.

sexta-feira, agosto 01, 2003

Certa vez posei para uma foto usando óculos escuros imensos. Os óculos tiveram o mesmo efeito de uma cirugia plástica. Fiquei gostosa pra caralho na foto. Tanto que ninguém me reconhece e quando eu digo que sou eu a reação mais comum é “ah, vá? Não é não”. Legal né? Mas, como gostei de ser gostosa pra caralho, acabei comprando um óculos modelo Dona Odete vai à feira, igual o da foto. Igualzinho o da foto, juro. Chego em casa e ouço: “Credo, vc tá parecendo uma vespa”. Pergunto: minha mãe não podia ter dito isso antes de eu empenhar uma grana na porra do óculos imenso?? Inferno.
Tem jeito mais delícia de começar o dia do que sentado na cadeira do dentista, tratando um canal, na maior rebordosa e, pior de tudo, ouvindo Jorge Vercilo? Ah, que gostoso.
Mas isso não importa. O que importa é que ontem foi DU-CA-RA-LHO. Mesmo. Top 5 baladas do ano. O bar “Salve Simpatia” é um dos melhores de São Paulo, sem dúvida. Aconchegante, lindamente decorado com estátuas, fotos e caricaturas de sambistas e criador do melhor pastel de queijo que já comi na vida. E o que é aquele repertório dos tiozinhos da banda? Inacreditável, só faltou “Carinhoso”. Me acabei de dançar e de rir. Bom, agora já tenho programa para toda quinta-feira: intercalar demônios com simpatia. Delícia!

quinta-feira, julho 31, 2003

Não dá para continuar nessa vida. Estou exausta, exaurida, esgotada, só o pó. As pessoas falam comigo e eu vejo seus lábios se mexendo mas não entendo o que estão falando. Esqueço em dois minutos o que acabam de me dizer. Se meus olhos ficam muito tempo parados num ponto, durmo com eles abertos. Esqueço de dar parabéns aos amigos. Dentro da minha cabeça, só um barulho de água correndo. Deve ser meu cérebro se liquefazendo. Faz três noites que eu não sei o que é dormir ou o que é chegar em casa antes da uma da manhã, e hoje, pelo jeito, vai continuar assim. E sabe o que é o pior? Eu estou gostando disso.

quarta-feira, julho 30, 2003

A tristeza é um bichinho que parrueta sozinho
E como dói a bandida
Parece rato em queijo parmesão.


Genial, Adoniram. Genial.

terça-feira, julho 29, 2003

Sensacional. É o mínimo que posso dizer sobre “A Viagem de Chihiro”. Mexe com os cinco sentidos da gente e emociona mesmo. É muito gostoso assistir um filme com valores tão diferentes daquilo que é apregoado pelo cinema ocidental. Além disso, estava com saudades de assistir um desenho com cara de desenho. O traço, as cores, as formas, é tudo tão lindo que dá vontade de chorar. Eu quero ver de novo, de novo e de novo.

segunda-feira, julho 28, 2003

Um dia o Renato ainda me mata. De rir:


"Estava eu, trabalhando, quando a Santana entra:

99% da minha lista de contatos são pessoas da empresa, que se identificam pelo nome completo, departamento e cidade, confesso que fiquei assustado quando vi a Santana entrar."
Estou um pouco feliz demais hoje. Acho que é pra compensar sexta. Eufórica, pentelha. Assim, do nada.
...
Ai, mentira. Não é do nada. Minha casa está parecendo um capítulo de novela do Manoel Carlos, cheio de emoção e barracos alucinantes. Estou louca para voltar pra lá e ver as cenas dos próximos capítulos.
Então agora é oficial: eu tenho uma banda.
Só falta aprendermos a tocar.
Uma foto minha tirada na sexta-feira:

sexta-feira, julho 25, 2003

Eu gosto desse blogs. Acho os textos engraçados e as fotos são foda. Realmente mexem com a minha libido. Porém, as vezes, essas fotos fodem. O que é esse Ewan McGregor com essa sunga cagão? Com certeza tem um toletão ali.

Ewan, querido, pelamordocéu:
1. Sunga não, sunga nunca. Sunga não fica bem em ninguém, nem em você que é a coisa mais próxima da perfeição que eu conheço
2. O que, pelos poderes do caralho, é essa touca roxa??? Touca só fica bem em bebê e roxo não fica bem em ninguém.
Além de me judiar com essa cena pavorosa, há essa foto do Frodo assumindo seu lado gazela, que todo mundo já desconfiava que existisse.

Dizem que ele namora o Dominic Monaghan, que sem a roupa de hobbit é uma coisa de louco. Se for verdade, ele é uma gazelinha muito esperta. E assim, todas as minhas ilusões acabam se esvaindo, virando purpurina pura.


Acordei num mau-humor e numa ressaca do cão. Mas passou rápido. Botei meu CD brega e Bonnie Tyler veio me dizer que, muito antes de mim, ela já havia sentido o “total eclipse of the heart” e me consolou. Logo em seguida, Cindy Lauper me informou que “girls just wanna have fun” e, bem, eu concordo com ela.

quinta-feira, julho 24, 2003

Odeio essas épocas em que tudo resolve acontecer e eu não tenho tempo de fazer nada que quero. Quando não estou debaixo da chibata do patrão, estou dopada sob o efeito de analgésicos em casa, sem forças para sair. Conclusão: eu AINDA não vi "A Viagem de Chihiro", eu não fui ao Anima Mundi e eu só li mais dois capítulos do Harry Potter essa semana. Isso não é vida.
I-N-F-E-R-N-O.

terça-feira, julho 22, 2003

Leia a conversa abaixo e entenda por que eu não troco o metrô por nenhum carro do mundo. Onde mais eu vou ouvir essas pérolas?

Tiazinha 1: ai menina, eu nem sei mais o que fazer...
Tiazinha 2: você gosta muito dele né?
Tiazinha 1: nossa, muuuuuuuuuuuuito. Não consigo nem comer!
Tiazinha 2: credo, nem comer? Mas como assim, você não tem fome pensando no fulano (falou um nome lá que não alembro)?
Tiazinha 1: Fome eu tenho, mas não para nada no meu estômago
Tiazinha 2: Credo menina. Isso daí não é amor não, isso daí é verme.
Fooooooooooooooooofa demais!!!

Beyond the Sea

Somewhere beyond the sea
somewhere waiting for me
my lover stands on golden sands
and watches the ships that go sailin
Somewhere beyond the sea
she's there watching for me
If I could fly like birds on high
then straight to her arms
I'd go sailing
It's far beyond the stars
it's near beyond the moon
I know beyond a doubt
my heart will lead me there soon
We'll meet beyond the shore
we'll kiss just as before
Happy we'll be beyond the sea
and never again I'll go sailing
I know beyond a doubt
my heart will lead me there soon
We'll meet (I know we'll meet) beyond the shore
We'll kiss just as before
Happy we'll be beyond the sea
and never again I'll go sailing
no more sailing
so long sailing
bye bye sailing...
Coicidência ou vanguarda?
Ainda ontem fui pra casa pensando que precisava baixar a música-tema de “Procurando Nemo”. Chego hoje na firma e finalmente meu chefe conseguiu fazer meus fones de ouvido funcionarem, então fui muito feliz e contente ouvir as 32 músicas do Royal Crown Revue que baixei ontem. Quem adivinhar qual era a segunda música ganha um diplik de uva. Bingo! Beyond the Sea, Royal Crown Revue, a música mais fofa do ano.

segunda-feira, julho 21, 2003

< momento abstração >
Eu tenho grandes planos para quando ficar milionária. Quer dizer, acabei de ter a idéia, mas é grande. Quando eu for milionária, vou montar um bar no centro de São Paulo, tipo na República ou perto dos Correios. Vai ser um bar total anos 20, decoração anos 20, garçons vestidos como nos anos 20, pôster dos anos 20. Só vai tocar essas músicas de orquestra de big bands que eu ouço e que, embora sejam modernas, soam como bandas dos anos 20. Vou chamar os Royal Crown Revue para tocar na abertura do bar, numa festa onde todos deverão ir vestidos à caráter: homens de dândis e mulheres de melindrosas, com aqueles vestidos curtinhos, cabelo chanel e colar de pérolas até o joelho. Talvez as pessoas possam fumar ópio lá, numa salinha reservada para esse fim. Vai ser ducaralho.
< /momento abstração >
Não sei porque, mas me identifico taaaaaaanto com a Dory
Fim de semana ó-te-mo. Sexta fui pra casa plenamente resignada a trabalhar e fazer as coisas que estão pendentes há varios meses. Daí, antes de começar a trabalhar fui só assistir um pouquinho da novela e, obviamente, dormi horrores. Acordei meia-noite com a Lu ligando e chamando pra sair. Como o sono já tinha passado mesmo, fui. Festinha meio miada, cheia de wanabes modernos e uma gente que vinha declamar poemas. Nojo total. Não fiquei nem uma hora, minha cama tava bem mais legal. Aí, sabadão, trabalhar que é bom né? Acordei três da tarde com o Rafa me ligando chamando pra ir no cinema. Fomos ver “Longe do Paraíso” um filme muito chato onde nada acontece. Depois fomos tomar umas Kaiser bock no boteco e eu ri muitíssississímo com o Rafa falando de Alegria e babando. Voltei pra casa meio tortinha, daí assisti aquela bosta retumbante que é o “De Olhos Bem Fechados” (gente, que filme pavorosamente ruiiiiiiiiiiiiiiiim!!!) e dormi de lente. Domingo acordei com o olho do tamanho de um figo e da cor da paixão. Dá-lhe Moura Brasil o dia inteiro, dor, dor e mais dor. Por fim, a noite caí na besteira de assistir “o Chamado”. Caraaaaaaaaaaaaaaaaalho. Muito medo. Adoro filmes de terror que, em vez de ficar me dando sustinhos instantâneos, fazem meus cabelos da nuca ficarem arrepiados por três dias, como é o caso desse. É como eu sempre digo, filme de terror sem o capeta, não rola. Ninguém tem medo de assassinos em série que usam mascaras ridículas, afinal de contas. Foda foi conseguir dormir depois…
E, bem, o trabalho ficou pra semana que vem... De novo.

sexta-feira, julho 18, 2003

Voltei a ser uma pessoa completa. Instalei o Kazaa Lite e o bichinho já está trabalhando alucinado pra mim, atrás de Squirrel Nut Zippers, Hepcats, BBVD, Cherry Poppin Daddies, Moby, Brian Setzer e da trilha sonora das Panteras que ninguém é perfeito, dá licença.
Ai meu São Crispim. Me transformei num elfo doméstico.

quinta-feira, julho 17, 2003

Fiz cagadinha e o post que estava aqui sumiu. pena. era lindo.



quarta-feira, julho 16, 2003

Acabo de me transformar num enorme e eterno tatu bolinha. Obrigada Casé, obrigada Isa.
Bem disse a Alexal: “As Panteras” não é filme, é videogame. E, como bom videogame, é divertidíssimo, extremamente absurdo e ridículo. Santorão, liiiiiiiiiiindo em tela enorme. Jornalistas feios e mal comidos ficaram dizendo que ele entra mudo e sai calado. Verdade. Mas... who cares???? Entendam de um vez por todas que aquele rapaz não precisa falar nada, ele só precisa ficar lá sendo lindo. Inclusive, se ele falar atrapalha, desconcentra. Deixa ele lá, peladinho na tela enorme, que a gente fica muito, muito feliz. Aliás, decidi. Minha Pantera favorita é mesmo a Dylan, porque ela sempre se apaixona pelo vilão, como eu.Todas mulher sabe que só os vilões valem a pena... No filme tem também um irlandês muito vilão, muito charmoso e com um sotaque muuuuuuuito irlandês, que me deixou apaixonadíssima. Bom, de resto é aquela coisa né? Panteras pulando, rebolando, se abraçando, se lambendo, dançando, usando saias e biquínis. Só faltou a camiseta molhada. Opa, não faltou não! Os meninos terão imagens ilustrativas para suas punhetas pelo resto do ano.
A primeira coisa que fiz hoje de manhã foi agradecer à minha santa mãezinha pela educação impecável que ela me deu e que me privou de papelões vexatórios como o que presenciei ontem.

terça-feira, julho 15, 2003

Devido ao grande sucesso da mulher maravilhinha e à enorme quantidade de e-mails, icqs e comentários de pessoas dizendo que também gostavam de se vestir de super-heróis na infância, está aberto o concurso super-herói mirim. As pessoas que mandarem suas fotos fantasiadas ganharão um diplik de uva. A melhor foto ganhará algum prêmio legal que ainda não sei qual vai ser. Todas as fotos serão publicadas no site do super-herói mirim, que ainda estou a construir muito, muuuuuuuuuuuuuuuito lentamente graças aos meus parcos conhecimentos de html.
Mas só valem fotos de vocês criancinhas. Não quero saber de ninguém me mandando foto fantasiado de bombeiro erótico ou enfermeira safada, viu? Mandem aí: descontrol@bol.com.br (sem link pus causa da preguiça)
As coisas tem perdido a graça cada vez mais rápido. saco.
Ainda não me acostumei com o meu novo-novo cabelo. As vezes me olho no espelho e assusto, penso que estou de cara com o Bozo ou com o Pica-Pau. Ou com os dois.
Morrendo de frio. Não entendo a relevância do frio. Odeio frio. Acho que o frio devia morrer de gonorréia.

segunda-feira, julho 14, 2003

Você percebe que está velha quando:
Sua rádio oficial deixa de ser a 89 e passa a ser a Eldorado
Você vai à cabeleireireira fazer luzes no cabelo ao invés de tingi-los com papel crepom
Você entra em pânico ao ver um grupinho de adolescentes na fila do cinema
Quando o frio está chegando, suas juntas começam a doer
Você troca o esmalte “Amora selvagem” pela combinação “Renda”, “Paris”, “Renda”
Dormir o dia inteiro parece ser um programa absolutamente irresistível
Você finalmente se rende aos encantos das calcinhas enormes e confortáveis
Você já pensou (mais de uma vez) em fazer lipo e pôr silicone
Fazer bate e volta na praia representa um programão. De índio.
Acampar também parece uma tremenda roubada. Onde já se viu dormir num lugar sem ar-condicionado?
Tomar 51 pura parece uma loucura abominável. Pior que isso, só sair de casa sem um Eno na bolsa.
Você vê aquele bando de adolescentes esperando os ônibus voltarem a passar nas ruas da Vila Madalena, as 4h00 da manhã, e acha que eles são todos uns debilóides.

Argh. Deprimida. Argh.
Façam um favor a vocês mesmos e assistam "Procurando Nemo".
Gargalhadas garantidas do começo ao fim, desenhos absurdamente lindos e trailers muito empolgantes.
Ducaralho. A Pixar devia lançar desenhos todo mês e assim eu seria mais feliz.

sexta-feira, julho 11, 2003

Eu gostaria muito de poder dar bifas nas pessoas sempre que sentisse vontade.
Saco.
Yeeeeeeeeess!!
Melhor teste (com o melhor resultado) de todos os tempos

quarta-feira, julho 09, 2003

Lavi mandou um monte de fotos da Austrália. Eu, se fosse ele, não voltava mais. Que lugar lindo dos infernos!!
Espero que ele continue mandando essas fotinhos, que é pra eu ir cozinhando minha vontade de ir pra lá e manter firme e forte minha convicção de guardar a bufunfa!
Para aqueles que não acreditaram que eu tinha roupinha da Mulé Maravilha:



terça-feira, julho 08, 2003

Preciso confessar uma coisa: estou louca para assistir ?As Panteras Detonando?. E adorei, adorei muito ?As Panteras?.
Quando criança, eu sempre brincava de ser a Kelly, a morena bonita. Detestava a Sabrina e achava a Jill meio vagaba, sempre meio pelada. Eu gostava da Kelly porque ela sempre saía correndo atrás dos bandidos armada e batia em todo mundo e no final ainda jogava o cabelão. Aliás, brincar de ser heroína era a coisa que eu mais gostava. Tinha uma fantasia de mulher-maravilha, daquelas que todo mundo tinha (os meninos tinham do Chips), e vestia aquilo TODOS os dias antes de sair pra rua para brincar com os vizinhos. Acho que por isso que sempre preferi a amizade dos meninos. Eu não tinha muito saco para brincar de casinha ou escolinha, gostava de ficar correndo atrás dos bandidos, apostar corrida de carrinho de pedal e explorar o terreno baldio que tinha no fim da minha rua (onde todos os animais mortos da vizinhança eram enterrados, com direito à missa e toda uma cerimônia fúnebre que durava horas. Devia ser uma cena bem estranha chegar num terreno baldio e ver umas 12 crianças, de 3 a 8 anos, em volta de um bicho morto, falando de como aquele bicho foi legal em vida). Nossa, viajei um pouco. O foco deste post são as Panteras, catso. Mas então, das panteras modernas, não sei qual eu queria ser ainda. A Cameron Diaz é a mais legal, mas eu acho a Drew Barrimore o máximo e ela é a que luta melhor. E a Lucy Liu é absurdamente linda. Dá para ser uma mistura das três?
Lá fora está chovendo
mas assim mesmo eu vou correndo
só prá ver o meu amor
Ela vem toda de branco toda molhada e despenteada
Que maravilha, que coisa linda que é o meu amor
Por entre bancários, automóveis, ruas e avenidas
Milhões de buzinas tocando sem cessar
Ela vem chegando de branco, meiga e muito tímida
Com a chuva molhando o seu corpo que eu vou abraçar
E a gente no meio da rua do mundo, no meio da chuva,
A girar, que maravilha...

segunda-feira, julho 07, 2003

O Bradesco é sem dúvida o pior banco da face da terra. Hoje, pleno quinto dia útil do mês, a porcaria do sistema deles ficou fora do ar o dia todo. E eu aqui desesperada para colocar algum dinheiro naquela conta rubra, tímida, pavorosamente vermelha.
Para piorar, quando estava indo pela terceira vez ao banco, entrou um bicho minúsculo no meu olho. Embora pequeno, acho que era venenoso porque agora meu olho esquerdo está inchado, vermelho e ardendo. Eu estou tipo um filhotinho de cruz credo cego. Inferno.

sexta-feira, julho 04, 2003

Ouvi hoje uma teoria muito interessante.
O homem só é inteiramente fiel à uma coisa: o futebol.
Concordo inteiramente. Geralmente escolhemos nosso time do coração na mais tenra infância e morremos vestindo a mesma camisa. Tem gente até que pede para ser enterrado com a bandeira do clube. Não importa o quanto o nosso time nos decepcione (que o digam os palmeirenses), nós perdoamos tudo. E ai daquele que falar mal, ofender ou mexer com os brios do nosso time. Sai porrada. É um caso de amor eterno. 85% das pessoas não é tão fiel à mais nada na vida: a gente troca de emprego, de melhor amigo, de carro, de casa, de bicho de estimação... Casamento? Um em cada três casamentos acaba em divórcio. Quantas pessoas você conhece que se divorciaram do time? Fiquei tentando descobrir o por que do fenômeno, mas não cheguei a nenhuma conclusão concreta. Talvez seja porque a gente pode xingar o time à vontade, os jogadores mudam toda hora, o técnico também (evitando que o relacionamento caia na rotina), o time não discute a relação (pelo menos não vejo isso acontecer desde que o Marcelinho Carioca saiu da parada), a gente pode curtir o futebol com os amigos e o time não enche o nosso saco se chegarmos nos estádio bêbados feito porcos. Parece que vale mesmo a pena ser fiel.
Meu irmão acaba de me ligar de São Sebastião para dizer que lá está fazendo um sol brilhante e intenso, que ele já tomou três caipirinhas e que um campeonato de truco está sendo preparado para esta noite. Querido dia, você poderia fazer o imenso obséquio de passar bem depressa, antes que eu tenha um colapso?
No momento, só posso falar uma coisa sovre esse blogs:
"Tanta coisa pra dizer, e a gente nem se fala..."
Salve Rosana.

quinta-feira, julho 03, 2003

Três da tarde ainda. Mais três horas pela frente, no mínimo. Não aguento tudo isso, quero ir pro PS tomar soro e ficar deitada numa sala escura. Quero ir pra casa arrumar a mochila pra viajar, quero dormir 12 horas seguidas, quero botar rodelas de pepinos nos olhos e bolsa de água quente na barriga. Quero brincar com meus gatos. Quero falar sozinha.
Essa foi uma noite do cão. Fui dormir tardíssimo, mas só dormi uma hora. Acordei enjoada às 4h30 da manhã, depois não peguei mais no sono até as seis e meia. Meu relógio tocou às sete. Passei essas duas horas ouvindo Mané roncar e observando as reações dele, que deve sonhar muito e muito. Ele não parou de se virar na cama e dar unhadas e soltar uns miados estranhos. De vez em quando levantava com as orelhas erguidas, olhava em volta e dormia de novo. Tive um pouco de medo. Falando nisso, Isa eles A-MA-RAM o presente e o Mané ficou lindo de guizo.
Sono-sono-soooooooooooooooooooooooono dos infernos.

quarta-feira, julho 02, 2003

So-cor-ro.
Não consigo nunca mais parar de rir. Não sei se é o nome ou a justificativa o mais engraçado. Alguém pelo amor do céu liga lá pra ver se eles atendem falando "RolaBosta boa tarde"???

terça-feira, julho 01, 2003

A decis?o de começar a fazer exercícios físicos é muito mais pentelha do que parece. Porque a gente pensa: “Ah, vou lá, me matriculo e passo a ir tr?s vezes por semana”. O cacete. Primeiro voc? tem que ficar horas pesquisando preços, modalidades esportivas e fazendo cálculos da distância entre a academia escolhida e sua casa ou trabalho. Afinal de contas, eu já estou pagando para me exercitar lá, n?o quero ter que andar horrores para ir até minha casa.
Bom, daí vem o pior. Tem toda uma moda academia rolando, voc?s sabem. Daí voc? tem que achar uma roupa que seja de boa qualidade, n?o muito feia e barata. E que comprima sua barriga e culotes mas sem apertar demais e te deixar sem ar. Também n?o podem ser aquelas roupas que comprimem tanto que acabam espremendo toda a banha de um canto para outro e daí voc? fica parecendo um colch?o amarrado dentro dela. Se voc? conseguir uma com todas essas qualidades e que n?o tenha nenhum detalhe em roxo ou amarelo ouro ou laranja, parabéns. Ah, fora o t?nis de academia, que n?o pode ser All Star (que n?o combina com as roupas de academia). Todos custam os olhos da cara e deixam o pé da pessoa parecendo tudo, menos um pé. Com eles, voc? pode fazer vários looks. Look enfiei o pé no cu da galinha, look peixe ao forno, look eu sou ridículo de fuder, look ops, desceu pra mim e look meu pé de ganso (este último inspirado no aclamado filme “Meu pé esquerdo”).
Se voc? conseguir passar por tudo isso, significa que está muito a fim de ir ? academia. Por isso eu acho que n?o será t?o difícil suportar as donas usando batom de bosta e empinando a bunda de lordose (ou será escoliose?) e os moços-mexerica, aqueles que cultivam gomos na barriga e braços e que eu acho particularmente nojentos. Deviam montar uma academia apenas para gente legal. Faria parte da avaliaç?o prévia um teste para saber se a pessoa é legal e batom de bosta seria proibido. Apenas gordos legais e asmáticos legais poderiam se exercitar lá.
Tudo isso porque estou com uma louca preguiça de efetuar minha matrícula.
A vantagem de ter uma sobrinha enfermeira vivendo na minha casa é que ela me arruma bisnagas e mais bisnagas de xilocaína para que eu suporte melhor o inferno da depilação. A desvantagem é que ela entra no meu quarto na metade do Dawsons, inibe minha choradeira solitária e a xilocaína não elimina nem um pouco a dor provocada pelo arrancamento dos pêlos.

segunda-feira, junho 30, 2003

Farei um post muito, muito, MUITO mulherzinha.
O final de Dawson's Creek foi tão lindo. Sim, eu chorei e chorei. E o Pacey acabou de dizer uma coisa que fez tanto sentido pra mim, arght, por que???? Por que as respostas para minhas questões existenciais tem de vir de um seriado de TV? Vai isadora, diga: "Suzana, go get a life".
Aaaaaaaaaaaargh.
Para ouvir lendo "O Grande Gatsby"

Still in love with you
Big Bad Voodoo Dady

So, when it rains, I'll shield you head.
And when you cry, I'll wipe those tears.
Because it's you through all these years,
And I'm still in love with you.

Drop to my knees at Christmas time,
And ask you please if you'd be mine,
Because it's you through all these years,
And I'm still in love with you.

We walked the streets of the Crescent City,
We held hands in China Town.
We watched the sun go down on the ocean blue.
That's when I knew that I would always love you.

So when the day turns into night,
I know that everything's all right.
Because it's you through all these years,
And I'm still in love with you.

"Yes I'm still in love with you"
Cure For Pain
Where is the ritual
And tell me where where is the taste
Where is the sacrifice
And tell me where where is the faith
Someday there'll be a cure for pain
That's the day I throw my drugs away
When they find a cure for pain
Where is the cave
Where the wise woman went
And tell me where
Where's all that money that I spent
I propose a toast to my self control
You see it crawling helpless on the floor
Someday there'll be a cure for pain
That's the day I throw my drugs away
When they find a cure for pain (x2)
When they find a cure find a cure for pain


Hoje, só amanhã.
Só tenho vontade de postar letras das melhores músicas do universo:

I'm Free Now
Sandman

I'm free now to direct a movie
Sing a song or write a book about yours truly
How I'm so interesting I'm so great I'm really just a fuck-up
And It's such a waste to burn down these wall around me
Flexing like a heartbeat we don't like to speak
Don't talk to me for about a week I'm sorry it just hurts to explain
There's something going on that makes my guts ache
I got guilt I got fear I got regret
I'm just a panic stricken waste I'm such a jerk
I was honest I swear the last thing I want to do
Honest I swear the last thing I want to do
Is ever cause you pain
Oh
I'm free now
Free to look out the window
Free to live my story
Free to sing along
Oh (x4)
I'm free now to direct a movie
Sing a song or write a book about yours truly
How I'm so interesting I'm so great but I'm really just a fuck-up
It's such a waste to burn down these wall around me
Flexing like a heartbeat we don't like to speak
Don't talk to me for about a week I'm sorry it just hurts to explain
There's something going on that makes my guts ache inside
I got guilt I got fear I got regret
I'm just a panic stricken waste I'm such a jerk
I was honest I swear the last thing I want to do
Honest I swear the last thing I want to do
Is ever cause you pain
Oh (x2)
Fim de semana boooom!!!
Teria sido um bocadinho melhor se eu não estivesse com tanta dor nas canelas e nas cadeiras. Definitivamente preciso abandonar o sedentarismo.

sexta-feira, junho 27, 2003

Acho que vou ao jogo do Santos no Morumba jogar uns chinelos no Boca Ruiniors.
Confesso que tenho um pouco de medo de me enfiar sozinha na torcida santista, sem um hominho pra me defender. Mas chega uma hora que a gente precisa ser macho, né?
Inferno que é ser vanguarda. Todo mundo vai ver “O Homem que Copiava” e eu já vi antes. Mas tudo bem. Pelo menos não sou mais uma octogenária, como eu pensava. Saí todos os dias dessa semana, encarnei a Heleninha em todos (tava morrendo de saudades de Heleninha) e ainda não estou com um sono louco nem sentindo dores nas juntas. Em comemoração à esse alegre estado de espírito, v