quinta-feira, julho 31, 2003

Não dá para continuar nessa vida. Estou exausta, exaurida, esgotada, só o pó. As pessoas falam comigo e eu vejo seus lábios se mexendo mas não entendo o que estão falando. Esqueço em dois minutos o que acabam de me dizer. Se meus olhos ficam muito tempo parados num ponto, durmo com eles abertos. Esqueço de dar parabéns aos amigos. Dentro da minha cabeça, só um barulho de água correndo. Deve ser meu cérebro se liquefazendo. Faz três noites que eu não sei o que é dormir ou o que é chegar em casa antes da uma da manhã, e hoje, pelo jeito, vai continuar assim. E sabe o que é o pior? Eu estou gostando disso.

quarta-feira, julho 30, 2003

A tristeza é um bichinho que parrueta sozinho
E como dói a bandida
Parece rato em queijo parmesão.


Genial, Adoniram. Genial.

terça-feira, julho 29, 2003

Sensacional. É o mínimo que posso dizer sobre “A Viagem de Chihiro”. Mexe com os cinco sentidos da gente e emociona mesmo. É muito gostoso assistir um filme com valores tão diferentes daquilo que é apregoado pelo cinema ocidental. Além disso, estava com saudades de assistir um desenho com cara de desenho. O traço, as cores, as formas, é tudo tão lindo que dá vontade de chorar. Eu quero ver de novo, de novo e de novo.

segunda-feira, julho 28, 2003

Um dia o Renato ainda me mata. De rir:


"Estava eu, trabalhando, quando a Santana entra:

99% da minha lista de contatos são pessoas da empresa, que se identificam pelo nome completo, departamento e cidade, confesso que fiquei assustado quando vi a Santana entrar."
Estou um pouco feliz demais hoje. Acho que é pra compensar sexta. Eufórica, pentelha. Assim, do nada.
...
Ai, mentira. Não é do nada. Minha casa está parecendo um capítulo de novela do Manoel Carlos, cheio de emoção e barracos alucinantes. Estou louca para voltar pra lá e ver as cenas dos próximos capítulos.
Então agora é oficial: eu tenho uma banda.
Só falta aprendermos a tocar.
Uma foto minha tirada na sexta-feira:

sexta-feira, julho 25, 2003

Eu gosto desse blogs. Acho os textos engraçados e as fotos são foda. Realmente mexem com a minha libido. Porém, as vezes, essas fotos fodem. O que é esse Ewan McGregor com essa sunga cagão? Com certeza tem um toletão ali.

Ewan, querido, pelamordocéu:
1. Sunga não, sunga nunca. Sunga não fica bem em ninguém, nem em você que é a coisa mais próxima da perfeição que eu conheço
2. O que, pelos poderes do caralho, é essa touca roxa??? Touca só fica bem em bebê e roxo não fica bem em ninguém.
Além de me judiar com essa cena pavorosa, há essa foto do Frodo assumindo seu lado gazela, que todo mundo já desconfiava que existisse.

Dizem que ele namora o Dominic Monaghan, que sem a roupa de hobbit é uma coisa de louco. Se for verdade, ele é uma gazelinha muito esperta. E assim, todas as minhas ilusões acabam se esvaindo, virando purpurina pura.


Acordei num mau-humor e numa ressaca do cão. Mas passou rápido. Botei meu CD brega e Bonnie Tyler veio me dizer que, muito antes de mim, ela já havia sentido o “total eclipse of the heart” e me consolou. Logo em seguida, Cindy Lauper me informou que “girls just wanna have fun” e, bem, eu concordo com ela.

quinta-feira, julho 24, 2003

Odeio essas épocas em que tudo resolve acontecer e eu não tenho tempo de fazer nada que quero. Quando não estou debaixo da chibata do patrão, estou dopada sob o efeito de analgésicos em casa, sem forças para sair. Conclusão: eu AINDA não vi "A Viagem de Chihiro", eu não fui ao Anima Mundi e eu só li mais dois capítulos do Harry Potter essa semana. Isso não é vida.
I-N-F-E-R-N-O.

terça-feira, julho 22, 2003

Leia a conversa abaixo e entenda por que eu não troco o metrô por nenhum carro do mundo. Onde mais eu vou ouvir essas pérolas?

Tiazinha 1: ai menina, eu nem sei mais o que fazer...
Tiazinha 2: você gosta muito dele né?
Tiazinha 1: nossa, muuuuuuuuuuuuito. Não consigo nem comer!
Tiazinha 2: credo, nem comer? Mas como assim, você não tem fome pensando no fulano (falou um nome lá que não alembro)?
Tiazinha 1: Fome eu tenho, mas não para nada no meu estômago
Tiazinha 2: Credo menina. Isso daí não é amor não, isso daí é verme.
Fooooooooooooooooofa demais!!!

Beyond the Sea

Somewhere beyond the sea
somewhere waiting for me
my lover stands on golden sands
and watches the ships that go sailin
Somewhere beyond the sea
she's there watching for me
If I could fly like birds on high
then straight to her arms
I'd go sailing
It's far beyond the stars
it's near beyond the moon
I know beyond a doubt
my heart will lead me there soon
We'll meet beyond the shore
we'll kiss just as before
Happy we'll be beyond the sea
and never again I'll go sailing
I know beyond a doubt
my heart will lead me there soon
We'll meet (I know we'll meet) beyond the shore
We'll kiss just as before
Happy we'll be beyond the sea
and never again I'll go sailing
no more sailing
so long sailing
bye bye sailing...
Coicidência ou vanguarda?
Ainda ontem fui pra casa pensando que precisava baixar a música-tema de “Procurando Nemo”. Chego hoje na firma e finalmente meu chefe conseguiu fazer meus fones de ouvido funcionarem, então fui muito feliz e contente ouvir as 32 músicas do Royal Crown Revue que baixei ontem. Quem adivinhar qual era a segunda música ganha um diplik de uva. Bingo! Beyond the Sea, Royal Crown Revue, a música mais fofa do ano.

segunda-feira, julho 21, 2003

< momento abstração >
Eu tenho grandes planos para quando ficar milionária. Quer dizer, acabei de ter a idéia, mas é grande. Quando eu for milionária, vou montar um bar no centro de São Paulo, tipo na República ou perto dos Correios. Vai ser um bar total anos 20, decoração anos 20, garçons vestidos como nos anos 20, pôster dos anos 20. Só vai tocar essas músicas de orquestra de big bands que eu ouço e que, embora sejam modernas, soam como bandas dos anos 20. Vou chamar os Royal Crown Revue para tocar na abertura do bar, numa festa onde todos deverão ir vestidos à caráter: homens de dândis e mulheres de melindrosas, com aqueles vestidos curtinhos, cabelo chanel e colar de pérolas até o joelho. Talvez as pessoas possam fumar ópio lá, numa salinha reservada para esse fim. Vai ser ducaralho.
< /momento abstração >
Não sei porque, mas me identifico taaaaaaanto com a Dory
Fim de semana ó-te-mo. Sexta fui pra casa plenamente resignada a trabalhar e fazer as coisas que estão pendentes há varios meses. Daí, antes de começar a trabalhar fui só assistir um pouquinho da novela e, obviamente, dormi horrores. Acordei meia-noite com a Lu ligando e chamando pra sair. Como o sono já tinha passado mesmo, fui. Festinha meio miada, cheia de wanabes modernos e uma gente que vinha declamar poemas. Nojo total. Não fiquei nem uma hora, minha cama tava bem mais legal. Aí, sabadão, trabalhar que é bom né? Acordei três da tarde com o Rafa me ligando chamando pra ir no cinema. Fomos ver “Longe do Paraíso” um filme muito chato onde nada acontece. Depois fomos tomar umas Kaiser bock no boteco e eu ri muitíssississímo com o Rafa falando de Alegria e babando. Voltei pra casa meio tortinha, daí assisti aquela bosta retumbante que é o “De Olhos Bem Fechados” (gente, que filme pavorosamente ruiiiiiiiiiiiiiiiim!!!) e dormi de lente. Domingo acordei com o olho do tamanho de um figo e da cor da paixão. Dá-lhe Moura Brasil o dia inteiro, dor, dor e mais dor. Por fim, a noite caí na besteira de assistir “o Chamado”. Caraaaaaaaaaaaaaaaaalho. Muito medo. Adoro filmes de terror que, em vez de ficar me dando sustinhos instantâneos, fazem meus cabelos da nuca ficarem arrepiados por três dias, como é o caso desse. É como eu sempre digo, filme de terror sem o capeta, não rola. Ninguém tem medo de assassinos em série que usam mascaras ridículas, afinal de contas. Foda foi conseguir dormir depois…
E, bem, o trabalho ficou pra semana que vem... De novo.

sexta-feira, julho 18, 2003

Voltei a ser uma pessoa completa. Instalei o Kazaa Lite e o bichinho já está trabalhando alucinado pra mim, atrás de Squirrel Nut Zippers, Hepcats, BBVD, Cherry Poppin Daddies, Moby, Brian Setzer e da trilha sonora das Panteras que ninguém é perfeito, dá licença.
Ai meu São Crispim. Me transformei num elfo doméstico.

quinta-feira, julho 17, 2003

Fiz cagadinha e o post que estava aqui sumiu. pena. era lindo.



quarta-feira, julho 16, 2003

Acabo de me transformar num enorme e eterno tatu bolinha. Obrigada Casé, obrigada Isa.
Bem disse a Alexal: “As Panteras” não é filme, é videogame. E, como bom videogame, é divertidíssimo, extremamente absurdo e ridículo. Santorão, liiiiiiiiiiindo em tela enorme. Jornalistas feios e mal comidos ficaram dizendo que ele entra mudo e sai calado. Verdade. Mas... who cares???? Entendam de um vez por todas que aquele rapaz não precisa falar nada, ele só precisa ficar lá sendo lindo. Inclusive, se ele falar atrapalha, desconcentra. Deixa ele lá, peladinho na tela enorme, que a gente fica muito, muito feliz. Aliás, decidi. Minha Pantera favorita é mesmo a Dylan, porque ela sempre se apaixona pelo vilão, como eu.Todas mulher sabe que só os vilões valem a pena... No filme tem também um irlandês muito vilão, muito charmoso e com um sotaque muuuuuuuito irlandês, que me deixou apaixonadíssima. Bom, de resto é aquela coisa né? Panteras pulando, rebolando, se abraçando, se lambendo, dançando, usando saias e biquínis. Só faltou a camiseta molhada. Opa, não faltou não! Os meninos terão imagens ilustrativas para suas punhetas pelo resto do ano.
A primeira coisa que fiz hoje de manhã foi agradecer à minha santa mãezinha pela educação impecável que ela me deu e que me privou de papelões vexatórios como o que presenciei ontem.

terça-feira, julho 15, 2003

Devido ao grande sucesso da mulher maravilhinha e à enorme quantidade de e-mails, icqs e comentários de pessoas dizendo que também gostavam de se vestir de super-heróis na infância, está aberto o concurso super-herói mirim. As pessoas que mandarem suas fotos fantasiadas ganharão um diplik de uva. A melhor foto ganhará algum prêmio legal que ainda não sei qual vai ser. Todas as fotos serão publicadas no site do super-herói mirim, que ainda estou a construir muito, muuuuuuuuuuuuuuuito lentamente graças aos meus parcos conhecimentos de html.
Mas só valem fotos de vocês criancinhas. Não quero saber de ninguém me mandando foto fantasiado de bombeiro erótico ou enfermeira safada, viu? Mandem aí: descontrol@bol.com.br (sem link pus causa da preguiça)
As coisas tem perdido a graça cada vez mais rápido. saco.
Ainda não me acostumei com o meu novo-novo cabelo. As vezes me olho no espelho e assusto, penso que estou de cara com o Bozo ou com o Pica-Pau. Ou com os dois.
Morrendo de frio. Não entendo a relevância do frio. Odeio frio. Acho que o frio devia morrer de gonorréia.

segunda-feira, julho 14, 2003

Você percebe que está velha quando:
Sua rádio oficial deixa de ser a 89 e passa a ser a Eldorado
Você vai à cabeleireireira fazer luzes no cabelo ao invés de tingi-los com papel crepom
Você entra em pânico ao ver um grupinho de adolescentes na fila do cinema
Quando o frio está chegando, suas juntas começam a doer
Você troca o esmalte “Amora selvagem” pela combinação “Renda”, “Paris”, “Renda”
Dormir o dia inteiro parece ser um programa absolutamente irresistível
Você finalmente se rende aos encantos das calcinhas enormes e confortáveis
Você já pensou (mais de uma vez) em fazer lipo e pôr silicone
Fazer bate e volta na praia representa um programão. De índio.
Acampar também parece uma tremenda roubada. Onde já se viu dormir num lugar sem ar-condicionado?
Tomar 51 pura parece uma loucura abominável. Pior que isso, só sair de casa sem um Eno na bolsa.
Você vê aquele bando de adolescentes esperando os ônibus voltarem a passar nas ruas da Vila Madalena, as 4h00 da manhã, e acha que eles são todos uns debilóides.

Argh. Deprimida. Argh.
Façam um favor a vocês mesmos e assistam "Procurando Nemo".
Gargalhadas garantidas do começo ao fim, desenhos absurdamente lindos e trailers muito empolgantes.
Ducaralho. A Pixar devia lançar desenhos todo mês e assim eu seria mais feliz.

sexta-feira, julho 11, 2003

Eu gostaria muito de poder dar bifas nas pessoas sempre que sentisse vontade.
Saco.
Yeeeeeeeeess!!
Melhor teste (com o melhor resultado) de todos os tempos

quarta-feira, julho 09, 2003

Lavi mandou um monte de fotos da Austrália. Eu, se fosse ele, não voltava mais. Que lugar lindo dos infernos!!
Espero que ele continue mandando essas fotinhos, que é pra eu ir cozinhando minha vontade de ir pra lá e manter firme e forte minha convicção de guardar a bufunfa!
Para aqueles que não acreditaram que eu tinha roupinha da Mulé Maravilha:



terça-feira, julho 08, 2003

Preciso confessar uma coisa: estou louca para assistir ?As Panteras Detonando?. E adorei, adorei muito ?As Panteras?.
Quando criança, eu sempre brincava de ser a Kelly, a morena bonita. Detestava a Sabrina e achava a Jill meio vagaba, sempre meio pelada. Eu gostava da Kelly porque ela sempre saía correndo atrás dos bandidos armada e batia em todo mundo e no final ainda jogava o cabelão. Aliás, brincar de ser heroína era a coisa que eu mais gostava. Tinha uma fantasia de mulher-maravilha, daquelas que todo mundo tinha (os meninos tinham do Chips), e vestia aquilo TODOS os dias antes de sair pra rua para brincar com os vizinhos. Acho que por isso que sempre preferi a amizade dos meninos. Eu não tinha muito saco para brincar de casinha ou escolinha, gostava de ficar correndo atrás dos bandidos, apostar corrida de carrinho de pedal e explorar o terreno baldio que tinha no fim da minha rua (onde todos os animais mortos da vizinhança eram enterrados, com direito à missa e toda uma cerimônia fúnebre que durava horas. Devia ser uma cena bem estranha chegar num terreno baldio e ver umas 12 crianças, de 3 a 8 anos, em volta de um bicho morto, falando de como aquele bicho foi legal em vida). Nossa, viajei um pouco. O foco deste post são as Panteras, catso. Mas então, das panteras modernas, não sei qual eu queria ser ainda. A Cameron Diaz é a mais legal, mas eu acho a Drew Barrimore o máximo e ela é a que luta melhor. E a Lucy Liu é absurdamente linda. Dá para ser uma mistura das três?
Lá fora está chovendo
mas assim mesmo eu vou correndo
só prá ver o meu amor
Ela vem toda de branco toda molhada e despenteada
Que maravilha, que coisa linda que é o meu amor
Por entre bancários, automóveis, ruas e avenidas
Milhões de buzinas tocando sem cessar
Ela vem chegando de branco, meiga e muito tímida
Com a chuva molhando o seu corpo que eu vou abraçar
E a gente no meio da rua do mundo, no meio da chuva,
A girar, que maravilha...

segunda-feira, julho 07, 2003

O Bradesco é sem dúvida o pior banco da face da terra. Hoje, pleno quinto dia útil do mês, a porcaria do sistema deles ficou fora do ar o dia todo. E eu aqui desesperada para colocar algum dinheiro naquela conta rubra, tímida, pavorosamente vermelha.
Para piorar, quando estava indo pela terceira vez ao banco, entrou um bicho minúsculo no meu olho. Embora pequeno, acho que era venenoso porque agora meu olho esquerdo está inchado, vermelho e ardendo. Eu estou tipo um filhotinho de cruz credo cego. Inferno.

sexta-feira, julho 04, 2003

Ouvi hoje uma teoria muito interessante.
O homem só é inteiramente fiel à uma coisa: o futebol.
Concordo inteiramente. Geralmente escolhemos nosso time do coração na mais tenra infância e morremos vestindo a mesma camisa. Tem gente até que pede para ser enterrado com a bandeira do clube. Não importa o quanto o nosso time nos decepcione (que o digam os palmeirenses), nós perdoamos tudo. E ai daquele que falar mal, ofender ou mexer com os brios do nosso time. Sai porrada. É um caso de amor eterno. 85% das pessoas não é tão fiel à mais nada na vida: a gente troca de emprego, de melhor amigo, de carro, de casa, de bicho de estimação... Casamento? Um em cada três casamentos acaba em divórcio. Quantas pessoas você conhece que se divorciaram do time? Fiquei tentando descobrir o por que do fenômeno, mas não cheguei a nenhuma conclusão concreta. Talvez seja porque a gente pode xingar o time à vontade, os jogadores mudam toda hora, o técnico também (evitando que o relacionamento caia na rotina), o time não discute a relação (pelo menos não vejo isso acontecer desde que o Marcelinho Carioca saiu da parada), a gente pode curtir o futebol com os amigos e o time não enche o nosso saco se chegarmos nos estádio bêbados feito porcos. Parece que vale mesmo a pena ser fiel.
Meu irmão acaba de me ligar de São Sebastião para dizer que lá está fazendo um sol brilhante e intenso, que ele já tomou três caipirinhas e que um campeonato de truco está sendo preparado para esta noite. Querido dia, você poderia fazer o imenso obséquio de passar bem depressa, antes que eu tenha um colapso?
No momento, só posso falar uma coisa sovre esse blogs:
"Tanta coisa pra dizer, e a gente nem se fala..."
Salve Rosana.

quinta-feira, julho 03, 2003

Três da tarde ainda. Mais três horas pela frente, no mínimo. Não aguento tudo isso, quero ir pro PS tomar soro e ficar deitada numa sala escura. Quero ir pra casa arrumar a mochila pra viajar, quero dormir 12 horas seguidas, quero botar rodelas de pepinos nos olhos e bolsa de água quente na barriga. Quero brincar com meus gatos. Quero falar sozinha.
Essa foi uma noite do cão. Fui dormir tardíssimo, mas só dormi uma hora. Acordei enjoada às 4h30 da manhã, depois não peguei mais no sono até as seis e meia. Meu relógio tocou às sete. Passei essas duas horas ouvindo Mané roncar e observando as reações dele, que deve sonhar muito e muito. Ele não parou de se virar na cama e dar unhadas e soltar uns miados estranhos. De vez em quando levantava com as orelhas erguidas, olhava em volta e dormia de novo. Tive um pouco de medo. Falando nisso, Isa eles A-MA-RAM o presente e o Mané ficou lindo de guizo.
Sono-sono-soooooooooooooooooooooooono dos infernos.

quarta-feira, julho 02, 2003

So-cor-ro.
Não consigo nunca mais parar de rir. Não sei se é o nome ou a justificativa o mais engraçado. Alguém pelo amor do céu liga lá pra ver se eles atendem falando "RolaBosta boa tarde"???

terça-feira, julho 01, 2003

A decis?o de começar a fazer exercícios físicos é muito mais pentelha do que parece. Porque a gente pensa: “Ah, vou lá, me matriculo e passo a ir tr?s vezes por semana”. O cacete. Primeiro voc? tem que ficar horas pesquisando preços, modalidades esportivas e fazendo cálculos da distância entre a academia escolhida e sua casa ou trabalho. Afinal de contas, eu já estou pagando para me exercitar lá, n?o quero ter que andar horrores para ir até minha casa.
Bom, daí vem o pior. Tem toda uma moda academia rolando, voc?s sabem. Daí voc? tem que achar uma roupa que seja de boa qualidade, n?o muito feia e barata. E que comprima sua barriga e culotes mas sem apertar demais e te deixar sem ar. Também n?o podem ser aquelas roupas que comprimem tanto que acabam espremendo toda a banha de um canto para outro e daí voc? fica parecendo um colch?o amarrado dentro dela. Se voc? conseguir uma com todas essas qualidades e que n?o tenha nenhum detalhe em roxo ou amarelo ouro ou laranja, parabéns. Ah, fora o t?nis de academia, que n?o pode ser All Star (que n?o combina com as roupas de academia). Todos custam os olhos da cara e deixam o pé da pessoa parecendo tudo, menos um pé. Com eles, voc? pode fazer vários looks. Look enfiei o pé no cu da galinha, look peixe ao forno, look eu sou ridículo de fuder, look ops, desceu pra mim e look meu pé de ganso (este último inspirado no aclamado filme “Meu pé esquerdo”).
Se voc? conseguir passar por tudo isso, significa que está muito a fim de ir ? academia. Por isso eu acho que n?o será t?o difícil suportar as donas usando batom de bosta e empinando a bunda de lordose (ou será escoliose?) e os moços-mexerica, aqueles que cultivam gomos na barriga e braços e que eu acho particularmente nojentos. Deviam montar uma academia apenas para gente legal. Faria parte da avaliaç?o prévia um teste para saber se a pessoa é legal e batom de bosta seria proibido. Apenas gordos legais e asmáticos legais poderiam se exercitar lá.
Tudo isso porque estou com uma louca preguiça de efetuar minha matrícula.
A vantagem de ter uma sobrinha enfermeira vivendo na minha casa é que ela me arruma bisnagas e mais bisnagas de xilocaína para que eu suporte melhor o inferno da depilação. A desvantagem é que ela entra no meu quarto na metade do Dawsons, inibe minha choradeira solitária e a xilocaína não elimina nem um pouco a dor provocada pelo arrancamento dos pêlos.