quinta-feira, julho 16, 2009

Mudança de paradigmas ou nocaute

Eu tenho esse blog há nove anos. É o meu relacionamento mais longo e fiel. Nesse meio tempo muita gente veio e foi, conheci e adorei algumas, sempre quis conhecer outras. Mas né. Eu sou uma cética horrorosa e má. Eu odeio a humanidade e eu não acredito nas pessoas.

E por mais que o mundo esfregue na minha cara que desconfiar dos relacionamentos virtuais é coisa de véio, eu continuo desconfiando. Amigo de internet? Ah, vá. Coisa mais loser.

Só que loser, meu amigo, sou eu, que insisto nesses paradigmas. Porque se for ver, eu tenho alguns amigos virtuais desde a época que o blog começou. Que passaram da caixa de comentários pro email, do email pro msn, do msn pra mesa do bar. Tempo bagarai. São poucos os amigos "reais" de tanto tempo assim.

Pois bem. Hoje aconteceram coisas bizarras e ruins relacionadas a dinheiro. E eu fiquei o dia decidindo se me prostituía ou cortava os pulsos. Eis que um desses amigos virtuais se prontifica a me ajudar. O cara nunca me viu na vida. Nunca nem falou comigo pelo telefone, embora me conheça melhor que um monte de gente que almoça e janta comigo, pelo tanto de tempo que passa lendo as bostas que eu posto aqui.

Ninguém pode imaginar o tamanho do meu choque. Ninguém. Como assim um gesto de desprendimento desse tamanho, como assim alguém confia que eu não sou uma picareta sem nunca ter me visto? Esse tipo de coisa não existe, eu nunca soube. Só família faz isso, e geralmente é meio que por obrigação.

Eu estou assim, meio sem ar, meio sem jeito, meio com vergonha de mim mesma, de ter passado esses anos todos achando que o mundo não vale nada e que confiar nos outros é pedir pra se foder. Eu perdi um puta tempo na minha vida. Quanta gente será que eu não deixei pelo caminho achando que não valia o esforço, que era tudo um bando de féladaputa?

Na verdade eu nem sei explicar direito. É uma mudança muito enorme. E é a terceira vez essa semana que a humanidade me mostra que presta sim, e muito. Pode até ser que esse blog finalmente morra. Porque agora eu vou falar do que? Do meu amor pelo Magno, pela Stella e pela Ana?

Eu nem sei. Vou sair tomar um ar e me recuperar do choque. Muita informação pra digerir.

E Magno, cara, obrigada muito. Não pela oferta, mas por ter me mudado. POrque acredite, cara, vc fez o que cinco anos de terapia não fizeram. Tem dinheiro que pague isso, não.

PS.: Enquanto isso, coleguinhas, super aceito frilas, ok? Porque é óbvio que eu não vou aceitar o dinheiro suado do Magno.

7 comentários:

bjomeliga disse...

Ai, muitas considerações. Primeiro acho que fé na humanidade vale a pena, por mais clichê que possa ser. Afinal a gente passa a vida inteira cercada de gente e a menos que você se disponha a morar numa ilha com o Seu Wilson, é melhor acreditar naqueles que te cercam e correr o risco de tomar no cu.
Segundo jamais abandone o blog, porque eu acho que você poderia ganhar dinheiro com ele. Como, eu não sei, mas sei que podia (ou pelo menos deveria). E né, eu não quero ficar orfã.
Agora (parte tensa do comentário), conseguimos ter aquela cerveja de anos e eu realmente adorei, daí espero fazer parte das pessoas que você conheceu e gostou. Se não gostou, minta por favor.
Por fim, tenho um convite a fazer, mas vai ser por email. Não envolve dinheiro infelizmente, só diversão e cerveja.
Eu não sei o que aconteceu, mas se precisar de alguma coisa pode contar comigo. Nem que seja um rímel emprestado.

Anônimo disse...

Acompanho seu blog a muito tempo, comentava em 2004 e 2005.
Me lembro que um dos primeiros posts que li foi de uma vez q foi com as amigas pro bar Brahma ver Demônios da Garoa, depois acabei indo no bar por causa do seu post rs rs rs rs
Não sei pq deu vontade de escrever :]
Beijão e tenha um excelente final de semana

Mmmárcio

Lan disse...

Gente, que bizarro. Faz uns dias que eu estava justamente pensando em te chamar pra uma breja ou coisa do tipo e não o fiz por pensar que apesar da gente ter um amigo em comum (o sasse) vc ia me achar uma freak, hahahaha. Besteira né? Adorei o texto e bom, adoro seu blog né? Beijo grande!

Raquel disse...

A gente anda tão acostumado com gente maldita, que qualquer boa ação vira milagre!

Momento Descontrol disse...

A., vc sabe MUITO BEM que eu adorei sim a cerveja, tanto que vivo enchendo seu saco para marcarmos de novo. Sem querer causar climão, vc era uma das que eu mais morria de vontade de conhecer porque tinha certeza que íamos virar BFF. E vou continuar te importunando até que vc tope repetir a dose.

Anônimo, obrigada por me lembrar do Bar Brahma, faz tanto tempo que não vou lá e agora fiquei com vontade de ir de novo!

Lan, amiga do Sassê??? Demorou! Não vou achar freak nada, que moral eu tenho pra isso?

Raquel, foda né? Mas viu só, até meu coração preto e peludo está começando a aceitar Jesus. Ainda há esperança.

Fulano disse...

Fiquei besta pra caralho aqui. Feliz porque vi um texto falando coisas realmente muito legais e agradecidas à minha pessoa... Por outro lado me senti estranho porque ainda não entendi o que fiz de tão impactante. De dou esse apoio sim e reafirmo isso sem pestanejar. O que significa o fato de não termos nunca nos encontrado pessoalmente? Tenho a completa certeza que conheço e confio mais em você que a maioria das garotas que já fiquei e a maior parte dos meus colegas aqui de vida clandestina em São Luis.

Ah, to esperando você me dizer no que deu o sue problema.

Momento Descontrol disse...

Ih, menino ainda não deu em nada. Meti os adEvogados pra cima dos pilantras e as perspectivas são boas, mas estou no aguardo. Pode deixar que te aviso do desenrolar dessa novela. Love ya.