segunda-feira, julho 06, 2009

Vão-se os anéis, os batons, o rímel

Fui assaltada pela nonagésima vez neste sábado. Isso é tão corriqueiro que nem merece um post. Passado o período de lágrimas e rancor pela bolsa amarela, a carteira azul e o celular rosa que se foram, eu prefiro always look on the bright side of life.

E por bright side of life eu quero dizer maquiagens novas. Faz tempo que meus dedinhos coçam de desejo de me jogar em batons, bases e sombras, mas como eu carregava uma tonelada disso na bolsa, a culpa católica sempre me assombrava. Agora, meus problemas acabaram (assim como as maquiagens).

Mas fica a dica pras coleguinha aí de casa: bolsas são descartáveis e podem ser levadas a qualquer momento. Portanto, a menos que você seja muito desapegada, não seja imbecil como eu de carregar seu batom Mac e seu gloss Lancôme na necessaire. Deixe-os bonitinhos em casa e recheie a bolsa com Vult, Tracta e Maybelline (pegue as avaliações todas no maravilhoso VnF). Afinal, as maquiagens de bolsa são para retocar durante o expediente, dar uma arejada antes do happy hour, nada que mereça uma super produção. E se acontecer de levarem suas coisinhas, com vintão você compra tudo de novo e tá linda, sem choro nem vela.

É claro que eu quero recomprar minhas maquiagens de rika (tinha um batom Yves Saint Laurent que só de olhar pra embalagem dourada eu já me sentia uma imperatriz. Da cor e da textura mesmo eu nem gostava muito, confesso). Mas agora só quando algum amigo de fé irmão camarada der uma paradinha no free shop por mim. Vou chorar na cama que é lugar quente e torcer muitíssimo para ter algum tipo raro de herpes assassina que não se manifesta em mim, apenas em ladras que usam maquiagem roubada.

Ah, e tem outra pollianice em ser assaltada: a impossibilidade de gastar dinheiro. Porque a gente cancela os cartões todos e fica 15 dias à mercê do banco. E o meu não é dos mais competentes. Então, por 15 dias eu viverei exclusivamente da bondade de estranhos, sem poder fazer nenhum mal à minha já tão sofrida e anoréxica conta. Talvez eu aproveite esse período pra aprender a viver apenas com o essencial. Ou seja: maquiagens Vult, Tracta, Maybelline...

7 comentários:

bjomeliga disse...

Ô judiação, nada consola um MAC perdido. Mas agradeço pelo lembrete de não carregar makes queridos, porque eu sempre ando com eles na bolsa.

Thiago Padula disse...

Não li o texto, muito técnico pra mim. Mas eu só queria dizer que nunca fui assaltado nesse raio de cidade, e me sinto um paulistano incompleto por isso. Se alguém puder ajudar, tô agradecendo.

Suzana disse...

Passa meia horinha sentado bem distraído no Mac Donalds da Henrique Schauman e deixa sua bolsa cheia dos melhores cosméticos largada do lado que não tem erro. Ou então anda mais comigo. Eu sou praticamente um imã de malfeitores.

Loo disse...

belo lembrete! eu carregava TODOS os rimeis na necessárie, a loca ....

Loo disse...

e lamento sua perda

DOCESDEVANEIOS disse...

eu fui assaltado duas vezes em 35 dias exatamente... e em 8 anos morando na cidade grande nunc ahavia aocntecido nem um ensaio disso... ach oque tirei meu atraso, ou tiraram pra mim... de qualquer forma, perder o mac dói mais que tudo( eu nao uso batom nem rimel).

melhoras ai.

dima disse...

lamento as perdas.... fui assaltada apenas uma vez e foi o bastante para eu não carregar mais nada querido na bolsa, de badulaques em geral a fotinhos de gente amada. RG é legal deixar em casa tb pq sem ele não dá para tirar mais nada... CNH é melhor, inclusive para quem não tem carro como eu.