segunda-feira, janeiro 26, 2009

Dilemas da humanidade - parte 5438976

Faz semanas que estou pensando em adotar novos gatos. Nunca na vida, desde que eu nasci, eu vivi sem gatos em casa. Desde que me mudei e meus filhos foram roubados de mim, entretanto, decidi que não adotaria outros enquanto não estabelecesse pouso em algum lugar. Não estabeleci, não sei como será o dia de amanhã, mas não suporto chegar em casa e não ouvir nada além dos "não é a mamãe" do papagaio do vizinho. Sinto falta dos miaus, ron-rons e fssss. Muita falta.

Por outro lado, também estou encantada com cães. Nunca fui do tipo cães, mas ultimamente estou dando trela para qualquer um que me olhe com amor na rua. Nos últimos meses permiti mais lambidas em minha cara do que ao longo de toda a minha vida. Cães fazem festinha e obrigam você a levá-los para passear, o que pode me ajudar a emagrecer. Mas também comem sapatos, livros e o que mais houver ao alcance. Cães podem matar um malfeitor que cisme de se aproveitar de minha nobreza de trintona solteirona sozinha e invada minha casa. Gatos se esconderiam no guarda-roupa e comeriam meu corpo assassinado, num caso desses.

Ou eu poderia pegar um cão E um gato e assim ter a felicidade completa e a vida social aniquilada. Mas seria um ótimo treino para a maternidade, possibilidade que venho almejando muito ultimamente. Eu preciso descarregar meu instinto maternal em alguma coisa, já que o cão virtual do nintendo DS não supre mais minhas necessidades.

Oh, dúvida cruel.

Donos de animais, me aconselhem. Eu prometo não comprar um bicho de pedigree.

14 comentários:

Thiago Padula disse...

Eu tive gatos a vida inteira, mas desde que Maria entrou na minha vida que eu não troco cachorro por nada. Não existe mais rotina, é sempre aventura: você nunca sabe onde vai encontrar uma poça de mijo, uma montanha de bosta ou a desagradável surpresa de que o chinelo que você ama está metade roído. Ela lambe minha cara, pisa no meu saco, rasga meu joelho e mastiga meus DVDs.

Tô pensando seriamente em pegar um crocodilo da próxima vez.

Momento Descontrol disse...

Hahahahaha, que animador, Padula.

Priscilla disse...

Você sabe, eu tinha cachorro até anteontem e hoje tenho dois gatos. É diferente, BEM diferente. Cachorro você fala "vem aqui" e ele sobe e fica vendo TV com você. Quebra um galho ferrado quando você tá triste e se sentindo só. Em compensação, dá MUITO mais trabalho que gato, é praticamente um filho. Levar pra passear duas, três vezes por dia não é mole pra quem morre de preguiça como er... nós. E tem de ensinar a fazer as coisas nos lugares certos e tal... Mais preguiça.
De gatos não preciso falar, acho que você sabe bem. A única coisa dessa história aí é o fato de você não ter pouso fixo. Bobagem: gato, cachorro, passarinho, peixe, cágado, whatever. Se ele estiver na sua vida, pra onde você for terá lugar pra ele, bote fé ;)
E assim acabo meu comment/post =P

Sabrina disse...

Gato, gato, gato! Bom, você sabe que eu sou imparcial quando o assunto são os gatos, mas eu já tive cachorro e realmente dá muito mais trabalho, solicita muito mais. Por isso acho complicado, ainda mais para quem trabalha o dia todo. Gato é mais independente, se vira sozinho. E vem no seu colo quando tem vontade. E dorme no pé da cama quando quer. E toma aquele banho lindo, e dá aquela miadinha que você não está esperando! E, é aquela história, quando você mudar, você leva. Minha irmã levou a dela pro México e voltou. E ela está aí, vivona e fofa. Eba!

PS: E pode comprar de raça, oras, se você quiser. Eu tenho uma persa linda e fofa, você lembra dela, né?

Suzana disse...

Eu estou mesmo pendendo muito pro lado dos gatos, por ser uma mãe relapsa que trabalha fora... Até gostaria de ter um raçudo e chique, mas morro de pena dos abandonados.

Camis disse...

Nunca tive gatos. Peguei trauma quando era pequena e fui toda serelepe carregar um filhotinho que achou que eu era lixa de unhas e me deixou riscada da testa até o pé. Além do mais, o pessoal de casa gosta mesmo de cães. Já cheguei a ter 4 de uma vez.Hoje só tem o Saddam mesmo, que tá velhinho, mas continua sendo o mais inteligente que eu já vi.
Também já tive ramsters. Não recomendo. Eles só fazem sujar a gaiola e roer jornal, sem te dar a mínima.

isa disse...

adote a verdurada!!!!!

Inconstante disse...

Adote um gato!!! Vc é do Rio??? Desculpe,mas é que cheguei no seu blog agora e não sei de onde você é...nem deu tempo de procurar no seu perfil...Enfim, se for do Rio, o Campo de Santana tem vários filhotinhos que são deixados lá e vc pode adotar. Eu não gosto de cachorros, acho os gatos mais interessantes e muiiito mais atenciosos. Tenho uma gata, a Luiza, que é a minha vida e supre todas as minhas necessidades (maternais) e carências (maternais, tb!)
Bjs

bjomeliga disse...

Um dia minha mãe cismou que eu não podia mais viver sozinha aos prantos e aí me deu uma vira lata, a Punky. E juro, foi a melhor coisa que me aconteceu. No começo eu achava que ia me atrapalhar e tal, pq cachorro é sim bem mais dependente do que gato, mas no fim ela não me dá nenhum trabalho. Eu só levo ela pra passear nos finais de semana (ou quando eu chego em casa mais cedo) e ela só faz xixi e coco no lugar certo. Fica sozinha o dia inteiro, não late. Já destruiu muitas havaianas e sandálias, mas hoje não come nada além de ossos e seus bichinhos de pelúcia. E sempre que eu chego em casa ela tá ali, atrás da porta, fazendo festa e abanando o rabo como se não houvesse amanhã. E dorme comigo de conchinha. E assim, a Punky meio que pensa que é um gato. Então, acho que eu tenho dois bichos num só.
Seja qual for a sua decisão, eu apóio. A vida com bichos é bem menos cruel. E adotados, pois os vira latas são os melhores. Nunca ficam doentes, uma super economia com veterinário e afins.
Ufa! Convenci?

>>>Anonymous>>> disse...

Eu sou um gato meio vagabundo, limpinho e sei lavar, passar não sei e cozinho bem, serve um "filho" assim?

Suzana disse...

HAHAHAHAHAHAHA, pô anonimo, sendo anônimo fica difícil decidir. Mas a-do-rei a abordagem.

Amber, obrigada por confundir o que já tava praticamente decidido. A dúvida voltou com força total.

Inconstante, não sou do Rio, mas já descobri umas associações legais aqui em Curitiba.

Fato é que no fim de semana tamo lá, escolhendo gato ou cão ou gato E cão, depende do nível de derretimento do meu coração.

Mas olha, nunca pensei que tema bichos fosse comover tanta gente. Eu gosto mais de gente que gosta de bicho, portanto considerem-se mais gostados.

Dani disse...

Já tive dos dois, tb. No atual momento, porém, não quero nenhum. Preciso da minha liberdade total. Mas acho que nesse momento, melhor gato, Su. Cachorro é filho, de verdade.
Bjs e ainda bem que vc voltou. Feliz ou não, senti a sua falta!
Bjs.

Olheiro da Desgraça disse...

Se vc mora em apartamento, tenha um gato. Se vc mora em uma casa, tenha um cão.

>>>Antonymus>>> disse...

AAAHHHHH, S-E-E-U-F-O-S-S-E-H-O-M-E-M... mas sou só um gato ordinário que aprendeu alguns truques: quando vc chega em casa, ando em oito entre as pernas, aprendi a escrever... e só. Mesmo ler é uma dificuldade que só. Falar ainda não falo mas ronronar, eu sei... Pensar bobagens, aprendi. Comentar em blogs entãooo...